domingo, 30 de setembro de 2012

Correção da P1 de História do 4º bimestre (segundo ano)

Confira a correção da prova de História do Quarto Bimestre (segundo ano)

Segundo Ano
 

1. (Unesp) Leia o trecho de uma marchinha do carnaval de 1951.
Bota o retrato do Velho outra vez,
Bota no mesmo lugar.
O sorriso do velhinho faz a gente trabalhar.
(Haroldo Lobo e Marino Pinto, 1951.)

Cantada por Francisco Alves, essa música se tornou um recurso de propaganda política do período. Responda.
a) A letra da música faz referência a qual personagem da História do Brasil?



b) Comente o significado desse personagem na História Republicana Brasileira.




resposta:


a) Getúlio Vargas, à época do seu segundo período de governo (1951-1954).

b) Getúlio Vargas destacou-se por melhor representar o populismo no Brasil, pelo incentivo à industrialização, pelo reconhecimento dos direitos trabalhistas e pelo nacionalismo. Foi o governante que mais tempo atuou no regime republicano, tendo governado de 1930 a 1945 e de 1951 a 1954. Eternizou-se como o "Pai dos Pobres" em razão da conduta populista e do reconhecimento dos direitos trabalhistas.



2. (Unesp) "Quis criar a liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobrás; mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculizada até o desespero. Não querem que o trabalhador seja livre. Não querem que o povo seja independente (...). Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História."

(Getúlio Vargas. CARTA-TESTAMENTO, 1954.)

a) Por que Getúlio Vargas associa "liberdade nacional" à criação da Petrobrás?



b) Identifique no texto elementos que caracterizam o populismo de Getúlio Vargas.





resposta:

a) Para Vargas, a extração e a produção de petróleo era indispensável ao desenvolvimento industrial e econômico. Sob o controle do capital nacional, representava a independência econômica do país.

b) A defesa do trabalhismo (não querem que o trabalhador seja livre) como expressão do controle das massas e o nacionalismo ao defender a criação da Eletrobrás e da Petrobrás como meios de combate à presença do capital estrangeiro na economia nacional.




3. (Puc-rio) Leia atentamente trechos da entrevista que o jornalista Villas-Bôas Corrêa concedeu à revista Nossa História, em agosto de 2004 (n.10, p. 39-40): "Os jornais eram todos muito hostis a Vargas, faziam uma campanha extremamente violenta". "A notícia do suicídio [24 de agosto de 1954] explodiu quando eu estava na altura da [rua] Uruguaiana. Bem na minha frente estava uma senhora negra, baixota, gorda, com duas sacas na mão. Ela parou e parecia inchar. De repente, berrou com violência: Canalhas, ladrões, mataram nosso amigo, mataram o velhinho! ." O depoimento de Villas-Bôas Corrêa caracteriza algumas ambigüidades, explicitando rejeições e apoios, associadas à figura do Presidente Getúlio Vargas.

a) Caracterize UM motivo para a hostilidade de muitos órgãos de imprensa durante o 2º Governo Vargas.



b) Caracterize UM motivo para o apoio popular a Vargas.






resposta:


 a) - o posicionamento político de boa parte da grande imprensa contra o nacionalismo econômico e o trabalhismo defendidos pelo Governo Vargas.
    - a crítica ao financiamento público, pelo Banco do Brasil, à criação do jornal varguista Última Hora.
    - a acusação e o temor generalizado na grande imprensa da retomada de práticas autoritárias provenientes do Estado Novo, com destaque para as ações de censura.

b) - o reconhecimento em relação à implementação das leis trabalhistas advindas do 1º Governo Vargas e atualizadas neste momento.
    - o apoio às medidas relacionadas ao nacionalismo econômico, expresso, por exemplo, na criação da Petrobrás. 




4. (FGV) "...Nada mais vos posso dar a não ser meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida... Cada gota de meu sangue será uma chama imortal em vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência. Ao ódio respondo com o perdão. E aos que pensam que me derrotaram respondo com a minha vitória... Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história."
"Carta-Testamento de Getúlio Vargas" in Documentos de História do Brasil, organizado por Mary Del PRIORE e outros, São Paulo, Scipione, 1999, pp. 98-99.

A Carta-Testamento de Getúlio Vargas foi publicada pela imprensa brasileira em 24 de agosto de 1954. O suicídio do presidente da República foi um dos episódios mais dramáticos da História brasileira no século passado e ocorreu em meio a uma grave crise política.
Analise tal situação, considerando: 
- O panorama da crise política de 1954. 
- As características da política de massas do período. 
- As consequências políticas da morte de Vargas.


resposta:



De volta ao governo em 1951, com um projeto desenvolvimentista  e nacionalista, Getúlio Vargas passou a enfrentar uma  intensa oposição de setores ligados ao capital estrangeio e dos segmentos conservadores da sociedade representados pela UDN. Estes contestavam o nacionalismo econômico e a política populista caracterizada pela aproximação e incorporação das classes trabalhadoras urbanas à cena política, sob a tutela do Estado. Vargas enfrentava também campanhas na imprensa contra o governo, sobretudo pelo Jornal Tribuna da Imprensa de Carlos Lacerda e a perda de apoio no Exército. O cenário desfavorável, agravou-se com o atentado ao jornalista Carlos Lacerda, no qual morreu o Major-do-Ar Rubens Vaz, sendo apontados como responsáveis, pessoas próximas do presidente. Pressionado a renunciar, Vargas optou pelo suicídio.

Após a morte de Getúlio Vargas e o afastamento do vice Café Filho em 1955, evidenciaram-se conflitos políticos envolvendo o presidente da Câmara dos Deputados Carlos Luz e o Marechal Henrique Teixeira Lott que levaram o país a um Estado de Sítio até a posse de Juscelino Kubtischeck em janeiro de 1956. 



5. (Unicamp) No final da década de 60, um representante do tropicalismo, Tom Zé, escreveu os seguintes versos:

"Retocai o céu de anil, bandeirolas no cordão, grande festa em toda a nação. Despertai com orações, o avanço industrial vem trazer nossa redenção."
(trecho da canção "PARQUE INDUSTRIAL")

Nesses versos o compositor faz uma referência irônica à industrialização como principal objetivo dos programas de desenvolvimento nacional criados, principalmente durante o governo de Juscelino Kubitschek. Analise o período, apresentando as suas principais características.




resposta:


Foi o desenvolvimentismo do Plano de Metas (50 anos em 5) a industrialização a partir do capital estrangeiro, endividamento externo, corrupção e inflação.








Questão extra

1. (Unesp) Durante o governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961), o país viveu uma decisiva experiência de planejamento econômico governamental, o Plano de Metas.
a) Quais setores econômicos foram destacados pelo Plano como prioritários para o desenvolvimento do país?


b) Como se explica a expansão industrial brasileira no período referido?




resposta:

a) Industrial e de produção energética.
b) Aporte de capital estrangeiro, pela instalação no Brasil de empresas multinacionais, atraídas pelas vantagens oferecidas pelo governo JK, e pelo papel do próprio governo brasileiro em supervisionar o processo e proporcionar a necessária infraestrutura - dentro da concepção desenvolvimentista.



2. (Unifesp 2010)  O Plano de Metas de Juscelino Kubitschek, presidente brasileiro de 1956 a 1961, apontava cinco áreas prioritárias de investimentos estatais: energia, transporte, alimentação, indústria e educação. Indique
a) o tipo de industrialização privilegiado pelo Plano de Metas.



b) as atribuições que, de acordo com o Plano de Metas, o Estado brasileiro assumia para estimular o crescimento econômico.
 

  


resposta:

a) No governo de Juscelino Kubitschek, houve no Brasil, norteado pelo Plano de Metas, um grande avanço industrial e a sua força motriz estava concentrada nas indústrias de base e na fabricação de bens de consumo duráveis e não-duráveis. O governo atraiu o investimento de capital estrangeiro incentivando a instalação de empresas multinacionais, principalmente as automobilísticas. Todo esse desenvolvimento concentrou-se no Sudeste brasileiro, enquanto as outras regiões continuavam com suas atividades econômicas tradicionais, decorrendo daí as correntes migratórias, sobretudo as do Nordeste para o Sudeste e do campo para a cidade.

b) De acordo com o Plano de Metas, caberia ao Estado os investimentos nos setores energético (Eletrobrás), siderúrgico (Companhia Siderúrgica Nacional e Belgo-Mineira), petrolífero (Petrobras) e de comunicação (Eletrobrás), na construção de grandes rodovias, na saúde, na educação, entre outros. Foi criada ainda a SUDENE (Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste), para promover o desenvolvimento da região e minimizar as desigualdades regionais do país. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário