sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Roteiro de estudos: A política colonizadora


Roteiro de estudos: A política colonizadora

a colonização da América Portuguesa


More PowerPoint presentations from Edenilson



Teste seus conhecimentos sobre o início da colonização brasileira


Lista nº 1 História do Brasil - 1° Ano (2014)
1. (UFPE 2004) Portugal teve um desempenho destacado na expansão marítima européia. Muitos fatores contribuíram para que esse país conseguisse construir um domínio colonial significativo para a época.
Sobre o desempenho português no período da expansão marítima e a colonização da América, analise os enunciados a seguir.
( ) A Revolução de Avis (1383-1385) conseguiu firmar o poder da burguesia portuguesa com a exclusão total da nobreza dos núcleos de poder.
( ) Na viagem de Bartolomeu Dias, foi descoberta a passagem para as Índias, um importante passo para a expansão do poderio português.
( ) A formação do reino de Portugal contribuiu para o fortalecimento da figura do rei, apesar da descentralização política que lembrava o feudalismo francês.
( ) Os lucros obtidos com a viagem de Vasco da Gama garantiram suporte a Portugal para outras aventuras na navegação, inclusive para a viagem de Pedro Alvares Cabral.
( ) A colonização das terras conquistadas por Portugal teve também uma dimensão religiosa, com a presença da Igreja Católica.


resposta da questão 1:F V F V V

2. (Ufscar) O primeiro documento escrito sobre o "achamento do Brasil" pelos navegantes portugueses assim se refere, numapassagem, aos costumes da população nativa:
"Eles não lavram, nem criam, nem há aqui boi, nem vaca, nem cabra, nem ovelha, nem galinha, nem outra nenhuma alimária, que costumada seja ao viver dos homens; nem comem senão desse inhame que aqui há muito e dessa semente e fruitos que a terra e as árvores de si lançam. E com isto andam tais e tão rijos e tão nédios, que o não somos nós tanto com quanto trigo e legumes comemos."
(CARTA A EL-REI DOM MANOEL SOBRE O ACHAMENTO DO BRASIL. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1974, p.73-75.)

a) Qual é o nome do autor deste documento?
b) O pequeno trecho apresentado demonstra que o contato entre os europeus e os habitantes da América não deveria limitar-se a uma relação estritamente econômica. A partir de que critérios o autor enxergou e analisou os homens da terra e a que conclusão chegou sobre a sua própria sociedade, a européia, ao observar esta nova gente?

resposta da questão 2:
a) Pero Vaz de Caminha
b) O autor pautou-se em critérios econômicos estabelecendo que os nativos viviam de caça e coleta, não sendo portanto conhecedores da economia agropastoril. O autor concluiu que a alimentação dava aos nativos a condição de mais saudáveis que os europeus, salientando ao rei a possibilidade de se aprender algo com essa "nova gente".


3. (Mackenzie) E então, por cerca de trinta anos, aquele vasto território seria virtualmente abandonado pela Coroa portuguesa, sendo arrendado para a iniciativa Privada e se tornando uma imensa fazenda extrativista de pau-brasil. Iriam se iniciar, então, as três décadas menos documentadas e mais desconhecidas da História do Brasil. Náufragos, Traficantes e Degredados - As Primeiras Expedições do Brasil Assinale o período histórico analisado pelo texto acima e suas características.
a) Período Colonial, caracterizado pela monocultura e economia exportadora de cana-de-açúcar.
b) Economia mineradora, marcada pelo povoamento da área mineira e intensa vida urbana.
c) Período Pré-Colonial, fase de feitorias, economia extrativista, utilização do escambo com os nativos, ausência de colonização sistemática.
d) Fase da economia cafeeira, com acumulação interna de capitais e sem grandes mudanças na estrutura de produção.
e) Período Joanino, de grande abertura comercial e profundas transformações culturais.


resposta da questão 3:[C]

4. (FATEC) Dentre as características gerais do período pré-colonizador destaca-se
a) o grande interesse pela terra, pois as comunidades primitivas do nosso litoral produziam excedentes comercializados pela burguesia mercantil portuguesa.
b) o extermínio de tribos e a escravização dos nativos, efeitos diretos da ocupação com base na grande lavoura.
c) a montagem de estabelecimentos provisórios em diferentes pontos da costa, onde eram amontoadas as toras de pau-brasil, para serem enviadas à Europa.
d) a distribuição de lotes de terras a fidalgos e funcionários do Estado português, copiando-se a experiência realizada em ilhas do Atlântico.
e) a implantação da agromanufatura açucareira, iniciada com construção do Engenho do Senhor Governador, em 1533, em São Vicente.


resposta da questão 4:[C]

5. (UFLAVRAS) Enumere os eventos, de acordo com o período em que ocorreram e indique a alternativa que apresente a ordem CORRETA:
1. Período Pré-colonial (1500-1530)
2. Período Colonial (1530-1808)

( ) extração assistemática de pau-brasil.
( ) criação das Capitanias Hereditárias (D. João III).
( ) envio das expedições "exploradoras" e "guarda-costas".
( ) chegada dos jesuítas para catequese dos índios e educação dos colonos.

a) 1 - 2 - 2 - 1
b) 2 - 2 -1 - 1
c) 1 - 1 - 2 - 2
d) 2 - 1 - 1 - 2
e) 1 - 2 - 1 - 2


resposta da questão 5:[E]

6. (UFG 2010) Analise os mapas a seguir.

Mapa 1 – Terra Brasilis


Disponível em: . Acesso em: 1 dez. 2009


Mapa 2 – America Meridionalis
Disponível em:. Acesso em: 01 dez. 2009

Os dois mapas foram produzidos, respectivamente, em 1519 e 1638 e descrevem, de forma distinta, o continente americano. 

Com base na comparação entre os mapas, explique a relação entre representação cartográfica e o conhecimento do território, em cada um deles.




resposta da questão 6:

Em cada um dos mapas, a relação entre representação cartográfica e conhecimento do território é expressa: 
1. no mapa 1, observa-se uma representação sobre o território que privilegia a fauna, a flora e os habitantes. A precisão cartográfica enfatiza o litoral, descrevendo seus acidentes geográficos e a toponímia, ao mesmo tempo em que explicita certo desconhecimento do interior. Esse desconhecimento pode ser identificado na composição escolhida pelo cartógrafo: ele preenche o espaço afastado da costa com ilustrações relacionadas à principal atividade econômica, a extração do pau-brasil pelo indígena, associando-a aos elementos mitológicos. Assim, no mapa, identifica-se elementos tanto do que os portugueses conheciam, quanto do que imaginavam. 

2. no mapa 2, observa-se uma maior precisão geográfica do território explorado, expressa nas referências à hidrografia e ao relevo, tanto do litoral quanto do interior. Essa maior precisão do segundo mapa decorre da ampliação dos conhecimentos científicos e da exploração mais sistemática do território, com as expedições ao interior do Brasil e pelo conhecimento do litoral sul-americano do Oceano Pacífico. Mesmo assim, a representação cartográfica mantém ilustrações que, para além de seu caráter informativo, remetem ao imaginário europeu sobre o território.



7. (ENEM 2011) Em geral, os nossos tupinambás ficaram bem admirados ao ver os franceses e os outros dos países longínquos terem tanto trabalho para buscar o seu arabotã, isto é, pau-brasil. Houve uma vez um ancião da tribo que me fez esta pergunta: “Por que vindes vós outros, mairs e perós (franceses e portugueses), buscar lenha de tão longe para vos aquecer? Não tendes madeira em vossa terra?”

LÉRY, J. Viagem à Terra do Brasil. In: FERNANDES, F. Mudanças Sociais no Brasil. São Paulo: Difel, 1974.

O viajante francês Jean de Léry (1534-1611) reproduz um diálogo travado, em 1557, com um ancião tupinambá, o qual demonstra uma diferença entre a sociedade europeia e a indígena no sentido

a) do destino dado ao produto do trabalho nos seus sistemas culturais.
b) da preocupação com a preservação dos recursos ambientais.
c) do interesse de ambas em uma exploração comercial mais lucrativa do pau-brasil.
d) da curiosidade, reverência e abertura cultural recíprocas.
e) da preocupação com o armazenamento de madeira para os períodos de inverno.




resposta da questão 7:[A]

Comentário da questão:

A questão exige que o candidato perceba, através da leitura do texto inicial, as diferentes relações que indígenas 
e europeus estabeleciam com a exploração de pau-brasil. Os índios que utilizavam a madeira principalmente 
como lenha, não compreenderam o interesse comercial dos europeus pelo pau-brasil.


8. (Unicamp 2013) “Quando os portugueses começaram a povoar a terra havia muitos destes índios pela costa junto das Capitanias. Porque os índios se levantaram contra os portugueses, os governadores e capitães os destruíram pouco a pouco, e mataram muitos deles. Outros fugiram para o sertão, e assim ficou a costa despovoada de gentio ao longo das Capitanias. Junto delas ficaram alguns índios em aldeias que são de paz e amigos dos portugueses.”

(Pero de Magalhães Gandavo, Tratado da Terra do Brasil, em http://www.cce.ufsc.br/~nupill/literatura/ganda1.html. Acessado em 20/08/2012.)

Conforme o relato de Pero de Gandavo, escrito por volta de 1570, naquela época,
a) as aldeias de paz eram aquelas em que a catequese jesuítica permitia o sincretismo religioso como
forma de solucionar os conflitos entre indígenas e portugueses.
b) a violência contra os indígenas foi exercida com o intuito de desocupar o litoral e facilitar a circulação do ouro entre as minas e os portos.
c) a fuga dos indígenas para o interior era uma reação às perseguições feitas pelos portugueses e ocasionou o esvaziamento da costa.
d) houve resistência dos indígenas à presença portuguesa de forma semelhante às descritas por Pero Vaz de Caminha, em 1500.



resposta da questão 8:[C]

Comentário da questão 8: 

De acordo com o documento do cronista Pero de Gandavo, os indígenas fugiam para o interior (sertão) como forma de resistência à presença portuguesa. Desde o início do período colonial, vários grupos se opuseram aos lusos, ocasionando diversos conflitos entre nativos e europeus. Fugir e se “interiorizar” dificultava a ação dos portugueses, na medida em que as matas eram locais desconhecidos e temidos, com caminhos fechados, animais ferozes e de difícil sobrevivência, seja pelo calor ou pela dificuldade de se encontrar alimentação. Interessante que o texto citado também mostra que, em muitos casos,  algumas sociedades indígenas também estabeleciam sistemas de alianças com os portugueses.



9. (Fuvest 2010) Os primeiros jesuítas chegaram à Bahia com o governador-geral Tomé de Sousa, em 1549, e em pouco tempo se espalharam por outras regiões da colônia, permanecendo até sua expulsão, pelo governo de Portugal, em 1759. Sobre as ações dos jesuítas nesse período, é correto afirmar que
a) criaram escolas de arte que foram responsáveis pelo desenvolvimento do barroco mineiro.
b) defenderam os princípios humanistas e lutaram pelo reconhecimento dos direitos civis dos nativos.
c) foram responsáveis pela educação dos filhos dos colonos, por meio da criação de colégios secundários e escolas de “ler e escrever”.
d) causaram constantes atritos com os colonos por defenderem, esses religiosos, a preservação das culturas indígenas.
e) formularam acordos políticos e diplomáticos que garantiram a incorporação da região amazônica ao domínio português.


resposta da questão 9:[C]

Comentário da questão:
A questão aborda a mais importante atividade desenvolvida no Brasil pela Companhia de Jesus (embora sua atuação mais conhecida seja a catequese dos índios): o controle do ensino na Colônia, o que contribuiu para dar certa unidade cultural a uma população dispersa por um imenso território.
Obs.: Os jesuítas notabilizaram-se como protetores dos índios e seus defensores contra a escravização. Nessa tarefa, promoveram a aculturação dos nativos, o que, paradoxalmente, contribuiu para que eles fossem submetidos com mais facilidade ao poder dos colonizadores.


10. (Mackenzie 2009) Na historiografia brasileira, encontramos um debate que procura responder à seguinte questão: tendo em vista sua estrutura geral, poderíamos classificar o Brasil-colônia como um exemplo tardio de Feudalismo?
Analisando a estrutura colonial brasileira, podemos refutar a hipótese de Brasil feudal, considerando que
a) a produção colonial, embora agrícola, visava ao abastecimento do mercado externo, obedecendo à lógica do Capitalismo Comercial.
b) o controle político das Capitanias Hereditárias esteve, exclusivamente, nas mãos dos donatários, oriundos da alta nobreza portuguesa.
c) o progresso da colônia assentava-se sobre a servidão coletiva imposta a índios e africanos.
d) a economia colonial desenvolveu um comércio interno insignificante, sobretudo durante o ciclo da mineração.
e) a sociedade colonial era, juridicamente, classificada como estamental, tendo em vista a impossibilidade legal de libertação de escravos.


resposta da questão 10:[A]

Comentário da questão:

No livro Evolução Política do Brasil (1933), o historiador Caio Prado Júnior, prega e prova a não existência do feudalismo no Brasil (pois considera que desde o início da colonização nossa estrutura econômica é capitalista). O sistema colonial português se baseou na mão de obra escrava, no capitalismo mercantil, na plantation voltada para o lucro e acúmulo de capitais pela metrópole e pelo triunfo da burguesia sobre a velha nobreza.



11. (G1) A coleta e o transporte do pau-brasil era um trabalho demorado e difícil que os portugueses não conseguiam fazer sozinhos. Responda:
a) Quem colaborou com os portugueses na extração do pau-brasil?
b) O que os índios receberam dos portugueses em troca de seu trabalho na coleta e transporte do pau-brasil? Que nome recebe esse tipo de troca?
c) Explique o que eram as feitorias e como elas eram utilizadas na época da exploração do pau-brasil.


resposta da questão 11:
a) Os índios.
b)Escambo- Recebiam em troca espelhos, facas, roupas e etc.
c) Eram postos de resgate de matéria-prima, no caso, pau-brasil.


12. (Mackenzie) A divisão do Brasil em capitanias hereditárias não seria apenas a primeira tentativa oficial de colonização portuguesa na América, mas também a primeira vez que europeus transportaram um modelo civilizatório para o Novo Mundo. A esse respeito é correto afirmar que:
a) o modelo implantado era totalmente desconhecido dos portugueses e cada donatária tinha reduzidas dimensões.
b) representava uma experiência feudal em terras americanas, sem nenhum componente econômico mercantilista.
c) atraiu sobretudo a alta nobreza pelas possibilidades de lucros rápidos.
d) a coroa com sérias dívidas transferia, para os particulares, as despesas da colonização, temendo perder a colônia para os estrangeiros que ameaçavam nosso litoral.
e) o sistema de capitanias fracassou e não deixou como conseqüências a questão fundiária e a estrutura social excludente.


resposta:[D]

13. (Unaerp) Em 1534, o governo português concluiu que a única forma de ocupação do Brasil seria através da colonização. Era necessário colonizar, simultaneamente, todo o extenso território brasileiro. Essa colonização dirigida pelo governo português se deu através da:
a) criação da Companhia Geral do Comércio do Estado do Brasil.
b) criação do sistema de governo geral e câmaras municipais.
c) criação das Capitanias Hereditárias.
d) montagem do sistema colonial.
e) criação e distribuição das Sesmarias.


resposta:[C]

14. (Unesp 2003) O Brasil foi dividido em quinze quinhões, por uma série de linhas paralelas ao equador que iam do litoral ao meridiano de Tordesilhas, sendo os quinhões entregues (...) [a] um grupo diversificado, no qual havia gente da pequena nobreza, burocratas e comerciantes, tendo em comum suas ligações com a Coroa.
(B. Fausto, "História do Brasil".)

No texto, o historiador refere-se às
a) câmaras setoriais.
b) sesmarias.
c) colônias de povoamento.
d) capitanias hereditárias.
e) controladorias.


resposta:[D]

15. (Unifesp 2004) Entre os donatários das capitanias hereditárias (1531-1534), não havia nenhum representante da grande nobreza. Esta ausência indica que:
a) a nobreza portuguesa, ao contrário da espanhola, não teve perspicácia com relação às riquezas da América.
b) a Coroa portuguesa concedia à burguesia, e não à nobreza, os principais favores e privilégios.
c) no sistema criado para dar início ao povoamento do Brasil, não havia nenhum resquício de feudalismo.
d) na América portuguesa, ao contrário do que ocorreu na África e na Ásia, a Coroa foi mais democrática.
e) as possibilidades de bons negócios aqui eram menores do que em Portugal e em outros domínios da Coroa.


resposta:[E]

Comentário da questão:
A inexistência de representantes da nobreza nas capitais hereditárias deveu-se ao fato da colonização do Brasil ser um negócio arriscado. Era mais interessante para os nobres, os negócios e cargos das Índias, muito mais rentáveis e seguros.



16. (UFRJ) "Eu, o rei, faço saber a vós, Tomé de Sousa, fidalgo de minha Casa, que vendo quanto serviço de Deus e meu é conservar e enobrecer as capitanias e povoações das Terras do Brasil (...), ordenei ora de mandar nas ditas terras fazer uma fortaleza e povoação grande e forte, em um lugar conveniente, para daí se dar favor e ajuda às outras povoações (...); e por ser informado que a Bahia de Todos os Santos é o lugar mais conveniente da costa do Brasil (...), que na dita Bahia se faça a dita povoação e assento, e para isso vá uma armada com gente (...) e tudo o mais que for necessário. E pela muita confiança que tenho em vós (...) vos enviar por governador às ditas terras do Brasil (...)."
(Regimento de Tomé de Sousa, 17 de dezembro de 1548)

A política administrativa do Estado português no início da colonização estruturou-se a partir da adoção do sistema de Capitanias Hereditárias e, posteriormente, da criação do Governo-Geral. No entanto, o verdadeiro poder político na Colônia encontrava-se nas Câmaras Municipais, dominadas pelos "homens bons".
a) Explique uma razão para a adoção do sistema de capitanias hereditárias na colonização do Brasil.
b) Apresente dois objetivos da criação do Governo Geral pelo Estado português.
c) Cite uma razão da concentração do poder político colonial nas Câmaras Municipais.


resposta:
a) Foram criadas com o objetivo de colonizar o Brasil, evitando assim invasões estrangeiras.
b) Como forma de centralizar o poder na colônia e acabar com a desorganização administrativa.
c) O poder nas Câmaras Municipais era controlado pelos grandes proprietários de terras, os chamados “homens bons”.


17. (cftsc) Após o insucesso econômico das Capitanias Hereditárias, já que apenas duas capitanias prosperaram, a Coroa Portuguesa instituiu, em 1548, um novo sistema político, que influenciou profundamente a história político-administrativa do Brasil Colonial, tornando-se a primeira tentativa de centralização do poder. Esse novo sistema político trata-se...
a) da República.
b) do Reino Unido de Portugal e Algarves.
c) da Monarquia Constitucional.
d) da Regência Trina Permanente.
e) do Governo Geral.


resposta:[E]

18. (Puccamp) Os Governos Gerais foram instituídos como a única solução político-administrativa viável para a colonização efetiva do Brasil, na segunda metade do século XVI, porque
a) a instituição do sistema, em 1548, suprimiu definitivamente a divisão da Colônia em Capitanias Hereditárias.
b) o Governo-Geral representava a centralização político-administrativa da Colônia, que se tornava imperativa, pelo sucesso da maioria das Capitanias Hereditárias.
c) o risco crescente, criado com a autonomia excessiva das Capitanias Hereditárias, levou o Estado Metropolitano a organizar o Governo Geral para substituí-las.
d) o Governo centralizado na Colônia correspondia melhor à definição absolutista do próprio governo metropolitano.
e) o Governo Geral constituía-se, em nível político, como um regime descentralizado e, em nível econômico, como uma grande empresa particular, estando à sua frente o Governador, o único responsável pelo investimento inicial e pelo incentivo à produção .


resposta:[D]


19. (Fuvest) "Na primeira carta disse a V. Rev. a grande perseguição que padecem os índios, pela cobiça dos portugueses em os cativarem. Nada há de dizer de novo, senão que ainda continua a mesma cobiça e perseguição, a qual cresceu ainda mais. No ano de 1649 partiram os moradores de São Paulo para o sertão, em demanda de uma nação de índios distantes daquela capitania muitas léguas pela terra adentro, com a intenção de os arrancarem de suas terras e os trazerem às de São Paulo, e aí se servirem deles como costumam."
(Pe. Antônio Vieira, CARTA AO PADRE PROVINCIAL, 1653, Maranhão.)

Este documento do Padre Antônio Vieira revela:
a) que tanto o padre Vieira como os demais jesuítas eram contrários à escravidão dos indígenas e dos africanos, posição que provocou conflitos constantes com o governo português.
b) um dos momentos cruciais da crise entre o governo português e a Companhia de Jesus, que culminou com a expulsão dos jesuítas do território brasileiro.
c) que o ponto fundamental dos confrontos entre os padres jesuítas e os colonos referia-se à escravização dos indígenas e, em especial, à forma de atuar dos bandeirantes.
d) um episódio isolado da ação do padre Vieira na luta contra a escravização indígena no Estado do Maranhão, o qual se utilizava da ação dos bandeirantes para caçar os nativos.
e) que os padres jesuítas, em oposição à ação dos colonos paulistas, contavam com o apoio do governo português na luta contra a escravização indígena.


resposta:[C]

20. (UFMG) A Companhia de Jesus foi instrumento fundamental para a evangelização das colônias americanas.
a) CITE duas estratégias usadas pela Companhia de Jesus para a difusão da fé católica.
b) IDENTIFIQUE os objetivos da Companhia de Jesus no Novo Mundo.


resposta:
a) A evangelização e a catequese.
b) Incentivaram à catequese dos povos do Novo Mundo, com a criação de novas ordens religiosas dedicadas a essa empreitada. Outras medidas incluíram a reafirmação da autoridade papal, a manutenção do celibato, a criação do catecismo e seminários e a proibição das indulgências.

21. (FGV 2007) "E são tão cruéis e bestiais, que assim matam aos que nunca lhes fizeram mal, clérigos, frades, mulheres (...) Sujeitando-se o gentio, cessarão muitas maneiras de haver escravos mal havidos e muitos escrúpulos, porque terão os homens escravos legítimos, tomados em guerra justa."
(Carta do Padre Manuel da Nóbrega, 1558)
"Depois disso com licença do Padre Nóbrega, me fui à outra aldeia de 150 casas e fiz ajuntar os moços e fiz-lhes a doutrina em sua própria língua. Achei alguns aqui mui hábeis e de tal capacidade que bem ensinados e doutrinados podiam fazer muito fruto, para o que temos necessidade de um colégio nesta Bahia para ensinar os filhos dos índios."
(Carta do Padre Azpicuelta Navarro, 1551)

Os testemunhos anteriores ilustram algumas das estratégias de padres da Companhia de Jesus, no sentido de promover a colonização das terras do Brasil, em meados do século XVI. Tendo-os como referência:
a) identifique as ações propostas em cada texto;
b) explique um efeito dessas ações para as populações ameríndias.



resposta:
a) Na carta do Padre Manoel da Nóbrega, é promovida a defesa da guerra justa contra índios considerados bravos e hostis. Tal estratégia viabilizaria a escravização legítima de grupos nativos mais resistentes à presença dos portugueses. Na carta do Padre Azpicuelta, verifica-se a ação catequista, fosse por meio da doutrinação direta ou da criação de colégios, ambas aplicadas para o caso das populações ameríndias que estabeleceram contatos pacíficos com os colonizadores.
b) A ação catequista de missionários religiosos, como os padres da Companhia de Jesus, promoveu a conversão de grupos indígenas à religião cristã católica. Houve, nesse sentido, um processo de aculturação que alterou valores e padrões comportamentais das sociedades tribais nativas, não só no campo das práticas religiosas como também na organização das relações parentais, da divisão do trabalho, das alianças e hostilidades com outras tribos. O princípio da guerra justa foi aplicado como justificativa para o ataque e a perseguição de tribos hostis à colaboração pacífica com os agentes promotores da colonização. Além do extermínio de populações ameríndias, tal princípio constituiu o álibi para a escravização legítima dos nativos, flexibilizando, na prática, as proibições quanto ao apresamento desses grupos

23. (Puccamp) Não, é nossa terra, a terra do índio. Isso que a gente quer mostrar pro Brasil: gostamos muito do Brasil, amamos o Brasil, valorizamos as coisas do Brasil porque o adubo do Brasil são os corpos dos nossos antepassados e todo o patrimônio ecológico que existe por aqui foi protegido pelos povos indígenas. Quando Cabral chegou, a gente o recebeu com sinceridade, com a verdade, e o pessoal achou que a gente era inocente demais e aí fomos traídos: aquilo que era nosso, que a gente queria repartir, passou a ser objeto de ambição. Do ponto de vista do colonizador, era tomar para dominar a terra, dominar nossa cultura, anulando a gente como civilização.
(Revista "Caros Amigos". ano 4. no. 37. Abril/2000. p. 36).

A respeito do início da colonização, período abordado pelo texto, pode-se afirmar que a primeira forma de exploração econômica exercida pelos colonizadores, e a dominação cultural e religiosa difundida pelo território brasileiro são, respectivamente,

a) a plantation no Nordeste e as bandeiras realizadas pelos paulistas.
b) a extração das "drogas do sertão" e a implantação das missões.
c) o escambo de pau-brasil e a catequização empreendida pela Companhia de Jesus.
d) a mineração no Sudeste e a imposição da "língua geral" em toda a Colônia.
e) o cultivo da cana-de-açúcar e a "domesticação" dos índios por meio da agricultura.

resposta:[C]


24. . (Unesp) Observe a figura e leia o texto.
(Reprodução da tela Primeira Missa no Brasil. Vítor Meireles, 1861.)

Chantada a Cruz, com as Armas e a divisa de Vossa Alteza, que  primeiramente lhe pregaram, armaram altar ao pé dela. Ali disse  missa o padre Frei Henrique (...). Ali estiveram conosco (...)  cinquenta ou sessenta deles, assentados todos de joelhos, assim  como nós. (...) [Na terra], até agora, não pudemos saber que haja  ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal (...) Porém, o melhor  fruto que dela se pode tirar me parece que será salvar esta gente. E  esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza em ela deve  lançar.
(Pero Vaz de Caminha. Carta do Achamento do Brasil, 10.05.1500.)

A respeito da tela e do texto, é correto afirmar que
a) demonstram a submissão da monarquia portuguesa à contrareforma católica.
b) expressam o encantamento dos europeus com a exuberância  natural da terra.
c) atestam, como documentos históricos, o caráter conflituoso dos  primeiros contatos entre brancos e índios.
d) representam o índio sem idealização, reservando-lhe lugar de  destaque no quadro, o que era pouco comum.
e) apresentam uma leitura do passado na qual os portugueses  figuram como portadores da civilização.

resposta:[E]



25. (FGV) "Assim, alguns dos irmãos mandados para esta aldeia, que se chama Piratininga, chegamos a 25 de janeiro do ano do Senhor de 1554, e celebramos em paupérrima e estreitíssima casinha a primeira missa, no dia da Conversão do Apóstolo São Paulo e, por isso, a ele dedicamos a nossa casa".
ANCHIETA, José de, "Carta de Piratininga (1554)". Cartas, informações, fragmentos históricos e sermões, Belo Horizonte/São Paulo: Itatiaia/Edusp, 1988, p.48.

Sobre a fundação da vila de São Paulo no período colonial podemos afirmar que:
a) Expulsos de Piratininga, os jesuítas retornaram em 1554 com tropas portuguesas que promoveram a destruição dos grupos indígenas da região.
b) Sua fundação acompanhou a tendência da colonização portuguesa em privilegiar a formação de núcleos no interior, em lugar de entrepostos litorâneos.
c) Desde sua fundação até o final do século XVIII, sua principal atividade econômica foi a produção de açúcar e algodão voltada para o mercado externo.
d) Sua fundação ocorreu em função dos interesses jesuíticos em controlar o comércio de metais e pedras preciosas realizado pelas tribos indígenas da região.
e) Sua fundação está vinculada à motivação missionária dos jesuítas que tinham nos colégios e aldeamentos suas bases principais.


resposta:[E]

26. (Unesp) O padre José de Anchieta escreveu sobre as dificuldades de conversão dos índios ao cristianismo. Por aqui se vê que os maiores impedimentos nascem dos Portugueses, e o primeiro é não haver neles zelo de salvação dos índios [...] e com isso pouco se lhes dá aos senhores que têm escravos, que não ouçam missa, nem se confessem, e estejam amancebados. E, se o fazem, é pelos contínuos brados da Companhia, e logo se enxerga claro nos tementes a Deus que seus escravos vivem diferentemente pelo particular cuidado que têm deles.
(José de Anchieta. "Informação do Brasil e de suas Capitanias", 1584.)

Pela leitura do texto, é correto afirmar que o jesuíta
a) entendia que a escravidão não poderia se tornar um obstáculo à catequização do gentio.
b) opunha-se à escravização dos índios por julgá-la contrária aos princípios do cristianismo.
c) considerava os costumes tradicionais dos indígenas adequados aos mandamentos cristãos.
d) julgava os indígenas ociosos e inaptos para o trabalho na grande empresa agrícola.
e) advogava a sujeição dos índios aos portugueses como meio para facilitar a sua conversão.


resposta:[A]

27. (UFRJ) " O Reino de Portugal, enquanto reino e enquanto monarquia está, obrigado, não só de caridade, mas de justiça, a procurar efetivamente a conversão e salvação dos gentios... Tem esta obrigação Portugal enquanto reino, porque este foi o fim particular para que Cristo o fundou e instituiu, como consta da mesma instituição. E tem esta obrigação enquanto monarquia, porque este foi o intento e contrato com que os Sumos Pontífices lhe concederam o direito das conquistas, como consta de tantas bulas apostólicas" (...) Não só são apóstolos os missionários, senão também os soldados e capitães, porque todos vão buscar gentios e trazê-los ao lume da fé e ao grêmio da Igreja? Sim, porque muitas vezes é necessário que os soldados com suas armas abram e franqueiam a porta, para que por esta porta aberta e franqueada se comunique o sangue da Redenção e a água do Batismo ".
(Antônio Vieira. SERMÕES V e VIl)

Os jesuítas exerceram um papel importante na difusão do catolicismo no mundo colonial português. No Brasil, um missionário que se destacou foi o Padre Antônio Vieira, autor de OS SERMÕES.
a) Transcreva do documento apresentado a justificativa de Antônio Vieira para a função desempenhada pelo Estado português na colonização das terras conquistadas.
b) Relacione a catequização efetuada pela Companhia de Jesus no Brasil ao contexto de crise política e religiosa da Igreja Católica.
c) Apresente duas implicações da colonização portuguesa para as sociedades indígenas do Brasil.


resposta:

a) " O reino de Portugal, enquanto reino e enquanto monarquia está obrigado, não só de caridade , mas de justiça, a procurar efetivamente a conversão e salvação dos gentios..."

b) A expansão do protestantismo na Europa abalava o prestígio político e religioso da Igreja Católica. Para conter essa expansão, a Igreja organizou um movimento que ficou conhecido como a Contra-Reforma. Em tal contexto, destaca-se a criação da Companhia de Jesus, idealizada por Ignácio de Loyola. " Os Soldados de Cristo " , como eram conhecidos os jesuítas, tinham a função de difundir o catolicismo com o objetivo de recuperar e conquistar novos fiéis. No Brasil Colonial, a política de difusão da fé católica se materializou na luta dos jesuítas pela conversão dos gentios ao catolicismo.
c) O aluno deverá apresentar duas implicações da colonização portuguesa para as sociedades indígenas no Brasil, considerando que: a ocupação das terras, conquistadas pelos portugueses a partir da expansão da lavoura canavieira, acarretou a expulsão dos indígenas de sua terra nativa; a ocupação de base militar empreendida pelos portugueses para defender o território contra as expedições estrangeiras acarretou o aniquilamento das tribos que ora se posicionavam ao lado dos portugueses ora ao lado dos inimigos dos portugueses; a aculturação dos indígenas, à medida que a colonização portuguesa se consolidava, principalmente com a participação dos jesuítas na catequização dos indígenas.

28. (Puccamp) Considere as afirmações adiante sobre o papel da Igreja no processo de colonização.
I. Várias ordens religiosas atuaram na catequização dos índios brasileiros: franciscanos, carmelitas, beneditinos e, principalmente, jesuítas.
II. As ordens religiosas acumularam, gradativamente, um considerável patrimônio econômico, para o qual a mão-de-obra indígena foi fundamental.
III. A expansão do catolicismo não contou com o apoio da Coroa Portuguesa, que mantinha com a Igreja o regime de padroado.
IV. A Inquisição não chegou a atuar no Brasil Colônia, uma vez que o grande sincretismo existente impedia o estabelecimento de dogmas.

São corretas SOMENTE
a) I e II
b) II e III
c) III e IV
d) I, II e IV
e) I, III e IV


resposta:[A]


29. (FGV 2009) Ao mesmo tempo em que se instituía o Governo-geral (1549), ocorria a passagem de uma economia extrativista para uma economia de produção na América portuguesa. A esse respeito, responda.

a) Do ponto de vista político-administrativo, a introdução do Governo-geral possibilitou uma centralização efetiva do poder e o controle metropolitano sobre a colônia? Justifique.
b) Em que medida o desenvolvimento da economia escravista contribuiu para a defesa e a ocupação do território americano por parte dos portugueses?


resposta da questão 29:
a) A instituição do Governo-geral não possibilitou um controle efetivo da metrópole sobre o território, pois, o poder exercido localmente pelos grandes proprietários, os homens-bons, por meio das Câmaras Municipais de cada vila, constituiu-se numa relevante oposição ao controle do Governo-geral. Além disso, a dificuldade de comunicação entre as diversas regiões do território colonial por vezes inviabilizou a transmissão efetiva das determinações metropolitanas.

b) A economia açucareira e escravista contribuiu para a defesa e a ocupação do território na medida em que ela foi a solução encontrada pelos portugueses para garantir a posse das novas terras, uma vez que as costas brasileiras, nas primeiras décadas do século XVI, eram frequentemente violadas por piratas, sobretudo franceses, interessados no escambo do pau-brasil.
O povoamento e o fluxo comercial pelo atlântico inibiriam as tentativas de invasão. Essa perspectiva acerca da colonização pode ser percebida ao considerarmos que uma das atribuições dos capitães donatários, responsáveis pela efetivação da iniciativa colonizadora, era proteger as costas de ataques estrangeiros.


30. (UESPI) A Igreja Católica atuou, com destaque na colonização  do Brasil. Esteve presente na catequese dos indígenas  e na organização do poder local. De fato, a Igreja  Católica: 

A) defendeu uma colonização sem hierarquias, justa  e livre da violência comum na época. 
B) divulgou princípios do cristianismo, tentando  aumentar seu prestígio, abalado na Europa pela  Reforma. 
C) recusou as ideias da nobreza portuguesa na  economia, incentivando a adoção do justo-preço. 
D) foi sempre favorável às reivindicações dos  colonos nas rebeliões contra Portugal. 
E) manteve seu domínio religioso, sem atritos com o  governo português e suas leis.


resposta da questão 30:[B]

31. (UESPI) Portugal temia que as invasões de potências  estrangeiras ocupassem sua colônia, Brasil. De  imediato, Portugal conseguiu: 
A) ganhar recursos valiosos com a descoberta de  minas de ouro no Sudeste. 
B) centralizar a administração com sedes bem  armadas nas regiões Norte e Nordeste. 
C) explorar o pau-brasil com a ajuda de tribos  indígenas brasileiras. 
D) fazer aliança política com a Espanha e fortalecer  seu exército nacional. 
E) montar o sistema de capitanias hereditárias com  auxílio da burguesia holandesa. 


resposta da questão 31:[C]


32. (UFRJ 2010) Para promover o povoamento e desenvolvimento do Brasil, o rei português D. João instituiu, em 1534, as Capitanias Hereditárias. É INCORRETO afirmar que
a) todos os donatários eram da pequena nobreza, burocratas ou comerciantes ligados à Coroa.
b) as terras foram divididas em linhas paralelas à linha do Equador.
c) todas as capitanias responderam aos anseios de sua criação.
d) a Carta de Doação era o documento que dava a posse das terras.
e) os donatários tinham o direito de administrar, exercer a justiça e doar sesmarias.


resposta da questão 32:[C]


33. (PUC-RS 2010) Entre 1500 e 1530, os interesses da coroa portuguesa, no Brasil, focavam o pau-brasil, madeira abundante na Mata Atlântica e existente em quase todo o litoral brasileiro, do Rio Grande do Norte ao Rio de Janeiro. A extração era feita de maneira predatória e assistemática, com o objetivo de abastecer o mercado europeu, especialmente as manufaturas de tecido, pois a tinta avermelhada da seiva dessa madeira era utilizada para tingir tecidos. A aquisição dessa matéria-prima brasileira era feita por meio da
a) exploração escravocrata dos europeus em relação aos índios brasileiros.
b) criação de núcleos povoadores, com utilização de trabalho servil.
c) utilização de escravos africanos, que trabalhavam nas feitorias.
d) exploração da mão de obra livre dos imigrantes portugueses, franceses e holandeses.
e) exploração do trabalho indígena, no estabelecimento de uma relação de troca, o conhecido escambo.


resposta da questão 33:[E]


34. (UFC 2008) Leia o texto que segue:
Conversava, como se fosse para uma feira. [..] dirigi-lhe mais uma vez a palavra, pois os maracajás eram amigos dos portugueses [...] Ao que retrucou ele que sabia bem, nós não comíamos carne humana. Depois lhe disse que devia ter ânimo, pois comeriam apenas a sua carne; seu espírito iria a uma outra região, para onde vai também o espírito da nossa gente e lá há muita alegria. Perguntou ele se isto era verdade. Referi que sim e respondeu-me que nunca havia visto Deus. Concluí dizendo que veria Deus na outra vida e deixei-o quando terminou a conversa.
STADEN, Hans. Duas viagens ao Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: USP, 1974, p. 112-113.

No trecho anterior, o explorador alemão Hans Staden narra o seu diálogo com um índio maracajá, prisioneiro, como ele, dos tupinambás, nos meados do século XVI. Analisando esse relato, infere-se que

a) o narrador sugere o papel civilizador do cristianismo frente à barbárie dos nativos.
b) Hans Staden procura convencer o companheiro de sina da sacralidade do canibalismo.
c) a separação entre carne e espírito, aludida pelo explorador, sinaliza sua adesão a crenças pagãs.
d) o maracajá se mostra desconsolado com o destino, visto que não havia maior desonra a um indígena que ser devorado pelo inimigo.
e) a prática do canibalismo foi inexistente, e sua invenção deve-se aos colonizadores, sequiosos por legitimar o desígnio da conquista.

 resposta da questão 34:[A]

35. (COPERJ) No Brasil Colonial, além dos colonizadores da Capitania de São Vicente, que começaram a colonização pelo litoral, mas tiveram que se atirar na grande aventura rumo ao interior, escalando a Serra do Mar, devido à concorrência desvantajosa do açúcar produzido no litoral paulista se comparado com o produzido no Nordeste, outros aventureiros também contribuíram para a abertura de caminhos por trilhas indígenas até chegar ao Planalto de Piratininga, a uma altura de oitocentos metros. A alternativa que corretamente tem o nome de outros europeus de origem, além dos bandeirantes, que mais contribuíram para a conquista do planalto onde hoje fica a cidade São Paulo é:

A) jesuítas
B) quilombolas
C) dominicanos
D) cariocas
E) indígenas



resposta da questão 35:[A]

Comentário da questão:
Os jesuítas se dedicaram na América Portuguesa à catequese indígena e a educação dos colonos, sendo assim, fundaram diversos aldeamentos e colégios, dentre eles o mais famoso foi o de São Paulo de Piratininga, sob os auspícios de Manuel da Nóbrega e José de Anchieta, que foi o núcleo inicial do Planalto de Piratininga, que mais tarde daria origem a Vila de São Paulo.


36. (COPERJ) O modelo inicial de ocupação do Brasil Colonial foi aquele instaurado pelas Capitanias Hereditárias, criadas por D. João III. A alternativa que expressa como era realizado, segundo o ordenamento da Coroa Portuguesa, o acesso dos donatários às terras brasileiras é:

A) Os donatários recebiam da Coroa Portuguesa uma doação, pela qual se tornavam possuidores, mas não proprietários de terras na América Portuguesa.
B) Os sesmeiros recebiam as terras, doadas pela Coroa Portuguesa, e tinham a obrigação de dividi-las com os donatários que tinham direito de explorá-las por cinco anos.
C) Os sesmeiros e donatários recebiam as terras da Coroa Portuguesa e se tornavam proprietários, desde que pagassem à Coroa um imposto correspondente a 25% de todo o lucro obtido com a exploração da terra.
D) Os donatários tinham direito de explorar a terra por quinze anos, desde que conseguissem um número expressivo de sesmeiros.
E) Os donatários recebiam da Coroa uma Carta de Doação que garantia a propriedade vitalícia da terra, mas ela nunca poderia ser vendida.


resposta da questão 36:[A]



37. (UNICAMP) – “Ao desembarcar na América, em 1500, o colonizador português deparou-se com um meio geográfico comple tamente diferente do seu. Contudo, é exagerado afirmar que o colono europeu teve muitas dificuldades para adaptar-se às áreas tropicais. Realmente, povos oriundos de climas frios, e por isso afeiçoados a eles, geralmente sofrem mais nas zonas climáticas quentes. Entretanto, o europeu encontrou fortes estímulos que compensaram esse desconforto climático. Ele não veio para a zona tropical a fim de ser trabalhador, mas para ser dirigente da produção mercantil.”
(Adaptado de: Caio Prado Júnior. Formação do Brasil Contemporâneo. São Paulo: Brasiliense, 1961. p. 13-26.)

a) Quais foram os estímulos encontrados pelo colonizador português para vir ao Brasil e aqui permanecer?


b) Caracterize a relação de trabalho fundamental que se estabeleceu na colônia.



c) Por que, durante a maior parte do Período Colonial, a população de origem portuguesa no Brasil se concentrou no litoral?




resposta da questão 37:
a) O colonizador português encontrou no Brasil vastas extensões de terra propícia à lavoura canavieira e uma população indígena que poderia fornecer mão de obra para aquela atividade. Esses fatores, segundo se esperava, favoreceriam o enriquecimento dos europeus que aqui viessem a se estabelecer.

b) A relação de trabalho predominante foi o escravismo, tendo em vista a falta de mão de obra europeia e sobretudo a ausência de disposição dos colonizadores para o trabalho braçal. Foi utilizada principalmente a escravidão de africanos, devido aos elevados lucros proporcionados pelo tráfico negreiro; entretanto, não se pode esquecer o largo emprego de mão de obra indígena nos dois primeiros séculos da colonização.

c) Porque a lavoura canavieira — principal atividade econômica do período — estava localizada na porção costeira da colônia, e também porque os contatos com a metrópole se faziam a partir do litoral.



38. (Unesp 2012) Nas primeiras três décadas que se seguiram à passagem da armada de Cabral, além das precárias guarnições das feitorias [...], apenas alguns náufragos [...] e “lançados” atestavam a soberania do rei de Portugal no litoral americano do Atlântico Sul.
(Adriana Lopez e Carlos Guilherme Mota. História do Brasil:uma interpretação, 2008.)

Os lançados citados no texto eram
(A) funcionários que recebiam, da Coroa, a atribuição oficial de gerenciar a exploração comercial do pau-brasil e das especiarias encontradas na colônia portuguesa.
(B) militares portugueses encarregados da proteção armada do litoral brasileiro, para impedir o atracamento de navios de outros países, interessados nas riquezas naturais da colônia.
(C) comerciantes portugueses encarregados do tráfico de escravos, que atuavam no litoral atlântico da África e do Brasil e asseguravam o suprimento de mão de obra para as colônias portuguesas.
(D) donatários das primeiras capitanias hereditárias, que assumiram formalmente a posse das  novas terras coloniais na América e implantaram as primeiras lavouras para o cultivo da cana-de-açúcar.
(E) súditos portugueses enviados para o litoral do Brasil ou para a costa da África, geralmente como degredados, que acabaram por se tornar precursores da colonização.







resposta da questão 38:[E]

Comentário da questão:
É importante perceber que o texto trata do chamado período pré-colonial brasileiro, marcado pela relativa negligência da coroa portuguesa com sua colônia americana devido aos grandes lucros proporcionados pelo comércio com o Oriente. Essa questão trata justamente dos primeiros colonos que foram enviados ao Brasil, no caso um conjunto de degredados, ou seja, pessoas que não eram desejadas no reino e que se tornaram assim os responsáveis por representar a posse do território colonial nos primeiros trinta anos. Vale destacar que a letra a e a b tratam de personagens qualificados da colonização, logo não podem ser considerados “lançados” como se refere o texto.
Na letra c e d, as atividades citadas só seriam implementadas posteriormente ao período pré-colonial do qual o texto trata.


39. (Unesp 2012) No processo de ocupação portuguesa do atual território do Brasil, as primeiras três décadas que se seguiram à passagem da armada de Cabral podem ser caracterizadas como um período em que

(A) Portugal não se dedicou regularmente à sua colonização, pois estava voltado prioritariamente para a busca de riquezas no Oriente.
(B) prevaleceram as atividades extrativistas, que tinham por principal foco a busca e a exploração de ouro nas regiões centrais da colônia.
(C) Portugal estabeleceu rotas regulares de comunicação, interessado na imediata exploração agrícola das férteis terras que a colônia oferecia.
(D) prevaleceram as disputas pela colônia com outros países europeus e sucessivos episódios de invasão holandesa e francesa no litoral brasileiro.
(E) Portugal implantou fortificações ao longo do litoral e empenhou-se em estender seus domínios em direção ao sul, chegando até a região do Prata.

resposta da questão 39: [A]

Comentário da questão:
O aluno que respondeu a questão anterior não teve dificuldade nenhuma em responder essa outra, pois ela trata da característica geral que marcou o período abordado pelo texto. Como dito anteriormente, Portugal se dedicou nos primeiros trinta anos que seguiram a viagem de Cabral ao seu comércio com as Índias, devido aos altos dividendos que ele proporcionava, relegando sua colônia na América a um segundo plano.






40. (UNESP) – “A cana-de-açúcar começou a ser cultivada quase
simultaneamente em São Vicente e Pernambuco, estendendo-se depois à Bahia e ao Maranhão. Sua cultura, onde logrou êxito — medíocre como em São Vicente ou máximo como em Pernambuco e na Bahia—, deu origem a uma sociedade e um gênero de vida de tendências mais ou menos aristocráticas e escravistas.”
(Gilberto Freyre, Casa-Grande &  Senzala. Adaptado.)

Tendo por base as afirmações do autor,
a) cite um motivo para o maior sucesso da cana-de-açúcar em Pernambuco do que em São Vicente.


b) explique por que o autor definiu o gênero de vida da sociedade
constituída pela cultura canavieira como apresentando “tendências
mais ou menos aristocráticas”.


resposta da questão 40:

a) Maior fertilidade do solo de massapê e menor distância em relação a Portugal.

b) Gilberto Freyre refere-se a uma sociedade alicerçada no escravismo, na concentração fundiária e na imobilidade social — características que proporcionam à classe dominante ares de aristocracia.



41. (UFPel) Analise o processo de divisão política da América portuguesa apresentado nos dois mapas, com a mesma 
escala gráfica. 



 CAMPOS, Flavio de. Oficina de História. História do Brasil. São Paulo: Moderna, 1999. 

Com base em seus conhecimentos e na leitura dos mapas, é correto afirmar que 
(a) a área terrestre a leste do Meridiano de Tordesilhas, pertencente a Portugal, é a mesma em ambos os mapas; portanto, representações cartográficas com tamanhos diferentes, retratando a mesma região, não podem ter a mesma escala. 
(b) a escala gráfica apresentada nos dois mapas está correta, pois ambos representam o mesmo território, a leste do Meridiano de Tordesilhas. 
(c) o uso da mesma escala nos mapas facilita a leitura de que a divisão do Brasil em Capitanias Hereditárias foi um fator histórico que influenciou a baixa concentração fundiária atual. 
(d) não existe relação entre as Capitanias Hereditárias – que perduraram até o 2º Reinado – e a atual divisão político-administrativa do Brasil. 
(e) a escala gráfica é um produto entre as medidas reais e as medidas do mapa; assim, o uso da mesma escala nas duas cartas, que representam o domínio português garantido no Tratado de Tordesilhas, está correto.



resposta da questão 41:[A]


O Tratado de Tordesilhas, assinado em 1494, dividiu entre Portugal e Espanha as terras descobertas, separando-as por um meridiano que passava a 370 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde, definindo que as terras localizadas a leste caberiam a Portugal e as do oeste pertenceriam à Espanha.
Os dois mapas utilizam escalas diferentes. Por isso o mapa menor, de 1621, cria a falsa impressão de que as áreas demarcadas a leste do meridiano de Tordesilhas ocupam menor extensão do que no mapa de 1574-1578.




42. (Mackenzie) Do rei os donatários não recebiam mais do que a própria terra e os poderes para conquistá-la.
(Eduardo Bueno - "Capitães do Brasil")

Assinale a alternativa correta sobre o sistema de colonização citado no texto.
a) O sistema de capitanias tinha por objetivo, solucionar a questão demográfica em Portugal, deslocando para a colônia o excedente de população.
b) Pernambuco e São Vicente foram as capitanias bem sucedidas, graças ao apoio francês ao comércio do açúcar e extrativismo de pau-brasil.
c) Financiado totalmente pelo governo português, fracassou em virtude da péssima administração.
d) As lutas contra nativos, longas distâncias, falta de recursos, levaram o sistema ao fracasso; embora seu legado como o latifúndio e a estrutura social excludente tenham sido duradouros em nosso país.
e) A excelente situação econômica de Portugal facilitou o apoio aos donatários que reproduziram no Brasil o sistema feudal europeu.


resposta da questão 42:[D]


43. (UFRRJ) "Até agora não pudemos saber se há ouro ou prata nela, ou outra coisa de metal ou ferro; nem lha vimos. Contudo a terra em si é de muito bons ares frescos e temperados como os de Entre-Douro e Minho, porque neste tempo dagora assim os achávamos como os de lá. (As) águas são muitas; infinitas. Em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo; por causa das águas que tem! Contudo, o melhor fruto que dela se pode tirar parece-me que será salvar esta gente. E esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza em ela deve lançar. E que não houvesse mais do que ter Vossa Alteza aqui esta pousada para essa navegação de Calicute (isso) bastava. Quanto mais, disposição para se nela cumprir e fazer o que Vossa Alteza tanto deseja, a saber, acrescentamento da nossa fé!"
("Carta de Pero Vaz Caminha ao Rei de Portugal" em 1°/5/1500.)

Seguindo a evidente preocupação de descrever ao Rei de Portugal tudo o que fora observado durante a curta estadia na terra denominada de Vera Cruz, o escrivão da frota cabralina menciona, na citada carta, possibilidades oferecidas pela terra recém-conhecida aos portugueses.
Dentre essas possibilidades estão
a) a extração de metais e pedras preciosas no interior do território, área não explorada então pelos portugueses.
b) a pesca e a caça pela qualidade das águas e terras onde aportaram os navios portugueses.
c) a extração de pau-brasil e a pecuária, de grande valor econômico naquela virada de século.
d) a conversão dos indígenas ao catolicismo e a utilização da nova terra como escala nas viagens ao Oriente.
e) a conquista de Calicute a partir das terras brasileiras e a cura de doenças pelos bons ares aqui encontrados.


resposta da questão 43:[D]


44. (UFSCar 2003) A mandioca, a batata-doce, a araruta, o milho, o feijão, o amaranto e o amendoim são utilizados como alimentos atualmente, porque foram
a) cultivados como fontes alimentares das primeiras civilizações agrícolas que se fixaram nos vales dos rios Nilo e Eufrates, há 5 mil anos.
b) cultivados inicialmente na África por volta de 3 mil anos atrás e difundidos nos séculos XV e XVI pelos europeus.
c) alimentos básicos das primeiras comunidades agrícolas que se tornaram sedentárias há 7 mil anos no Oriente Próximo.
d) domesticados por populações que desenvolveram a agricultura na América, há pelo menos 6 mil anos.
e) modificados geneticamente por comunidades agrícolas da Europa mediterrânea nos últimos 2 mil anos.


resposta da questão 44:[D]

Comentário da questão:
Os produtos citados são originários da América, tendo sido cultivados por diversas populações ameríndias.
Alguns deles, como a batata e o milho, foram transplantados para a Europa em decorrência da colonização européia das terras americanas.


45. (Uerj 2010) Pelo que, começando, digo que as riquezas do Brasil consistem em seis coisas, com as quais seus povoadores se fazem ricos, que são estas: a primeira, a lavoura do açúcar; a segunda, a mercancia; a terceira, o pau a que chamam do Brasil; a quarta, os algodões e madeiras; a quinta, a lavoura de mantimentos; a sexta e última, a criação de gados. De todas estas coisas o principal nervo e substância da riqueza da terra é a lavoura dos açúcares.
AMBRÓSIO FERNANDES BRANDÃO, 1618. Adaptado de PRIORE, M. del; VENÂNCIO, R. P. O livro de ouro da história do Brasil. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001.

Considera-se hoje que o Brasil colonial teve um desenvolvimento bastante diferente da interpretação de Caio Prado Júnior. É que mudou a ótica de observação: os historiadores passaram a analisar o funcionamento da colônia. Não que a intenção da política metropolitana fosse diferente do que propõe o autor. Mas a realidade se revelava muito mais complexa. No lugar da imagem de colonos engessados pela metrópole, vem à tona um grande dinamismo do comércio colonial.
SHEILA DE CASTRO FARIA. Adaptado de www.revistadehistoria.com.br

O texto do século XVII enumera interesses da metrópole portuguesa em relação à colonização do Brasil; já o segundo texto, uma análise mais contemporânea, descreve uma sociedade mais complexa que ia além dos planos dos exploradores europeus. Indique dois objetivos da Coroa Portuguesa com a implantação da empresa açucareira no Brasil colonial. Em seguida, identifique duas características da economia colonial que comprovam o seu dinamismo interno


resposta da questão 45:

Dois dos objetivos:

• fixar população portuguesa à terra; 
• garantir o controle político do território por Portugal;
• produzir mercadoria de alto valor comercial no mercado europeu;
• garantir rendas à Coroa Portuguesa por meio da produção de gêneros de valor comercial;
• garantir o monopólio do Atlântico Sul e, consequentemente, da rota marítima para o Oriente;
• afirmar a preponderância portuguesa no cenário das grandes nações europeias do século XVI;

Duas das características:
• existência de atividades econômicas utilizando mão de obra livre;
• desenvolvimento de relações comerciais internas e com outras regiões, apesar das proibições características do monopólio metropolitano;
• existência de uma quantidade de capital circulante na colônia, empregado não só no tráfico;
negreiro como também na criação do gado e na lavoura de subsistência, voltadas principalmente para o mercado interno;



46.  (Unicamp) O termo 'feitor' foi utilizado em Portugal e no Brasil colonial para designar diversas ocupações. Na época da expansão marítima portuguesa, as feitorias espalhadas pela costa africana e, depois, pelas Índias e pelo Brasil tinham feitores na direção dos entrepostos com função mercantil, militar, diplomática. No Brasil, porém, o sistema de feitorias teve menor significado do que nas outras conquistas, ficando o termo 'feitor' muito associado à administração de empresas agrícolas.
(Adaptado de Ronaldo Vainfas (org.), "Dicionário do Brasil Colonial". Rio de Janeiro: Ed. Objetiva, 2000, p. 222).

a) Indique características do sistema de feitorias empreendido por Portugal.
b) Qual a produção agrícola predominante no Brasil entre os séculos XVI e XVII? Quais as funções desempenhadas pelo feitor nessas empresas agrícolas?

resposta da questão 46:


a) As feitorias, constituíam entrepostos comerciais no litoral de áreas coloniais ou de contatos dos portugueses para captação e armazenamento de produtos obtidos através de trocas com os nativos.

b) Entre os séculos XVI e XVII, predominou no Brasil a lavoura da cana de açúcar. O feitor controlava o trabalho dos escravos na lavoura.



47. TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO
(Puccamp) Não, é nossa terra, a terra do índio. Isso que a gente quer mostrar pro Brasil: gostamos muito do Brasil, amamos o Brasil, valorizamos as coisas do Brasil porque o adubo do Brasil são os corpos dos nossos antepassados e todo o patrimônio ecológico que existe por aqui foi protegido pelos povos indígenas. Quando Cabral chegou, a gente o recebeu com sinceridade, com a verdade, e o pessoal achou que a gente era inocente demais e aí fomos traídos: aquilo que era nosso, que a gente queria repartir, passou a ser objeto de ambição. Do ponto de vista do colonizador, era tomar para dominar a terra, dominar nossa cultura, anulando a gente como civilização.
(Revista "Caros Amigos". ano 4. no. 37. Abril/2000. p. 36).

 A respeito do início da colonização, período abordado pelo texto, pode-se afirmar que a primeira forma de exploração econômica exercida pelos colonizadores, e a dominação cultural e religiosa 
difundida pelo território brasileiro são, respectivamente,
a) a plantation no Nordeste e as bandeiras realizadas pelos paulistas.
b) a extração das "drogas do sertão" e a implantação das missões.
c) o escambo de pau-brasil e a catequização empreendida pela Companhia de Jesus.
d) a mineração no Sudeste e a imposição da "língua geral" em toda a Colônia.
e) o cultivo da cana-de-açúcar e a "domesticação" dos índios por meio da agricultura.


resposta da questão 47: [C]

48. (Mackenzie) Enquanto os portugueses escutavam a missa com muito "prazer e devoção", a praia encheu-se de nativos. Eles sentavam-se lá surpresos com a complexidade do ritual que observavam ao longe. Quando D. Henrique acabou a pregação, os indígenas se ergueram e começaram a soprar conchas e buzinas, saltando e dançando (...)


Náufragos Degredados e Traficantes (Eduardo Bueno)

Este contato amistoso entre brancos e índios preservado:
a) pela Igreja, que sempre respeitou a cultura indígena no decurso da catequese.
b) até o início da colonização quando o índio, vitimado por doenças, escravidão e extermínio, passou a ser descrito como sendo selvagem, indolente e canibal.
c) pelos colonos que escravizaram somente o africano na atividade produtiva de exportação.
d) em todos os períodos da História Colonial Brasileira, passando a figura do índio para o imaginário social como "o bom selvagem e forte colaborador da colonização".
e) sobretudo pelo governo colonial, que tomou várias medidas para impedir o genocídio e a escravidão.




resposta da questão 48: [B]


49. (Puc-rio) Leia as afirmativas a seguir sobre a expedição de Pedro Álvares Cabral, que saiu de Lisboa em março de 1500:

I) A missão da esquadra era expandir a fé cristã e estabelecer relações comerciais com o Oriente, de modo a trazer as valiosas especiarias para Portugal; desta maneira, reunia num mesmo episódio os esforços da Coroa, da Igreja e dos grupos mercantis do Reino.
II) Chegar às Índias através de um caminho inteiramente marítimo só foi possível após o longo "périplo" realizado pelas costa africana, durante o século XV, por diversos navegadores portugueses, cujos expoentes foram Bartolomeu Dias e Vasco da Gama.
III) A viagem expressou a subordinação da Coroa portuguesa à Igreja Católica, na época dos descobrimentos, já evidenciada quando o Papa estabeleceu a partilha do Mundo Novo, em 1494, através do tratado de Tordesilhas.

IV) Era objetivo da viagem tomar posse de terras a Oeste, de modo a assegurar o controle do Oceano Atlântico Sul e, consequentemente, da rota marítima para as Índias.

Assinale a alternativa que contém as afirmativas corretas:
a) somente I, II e III.
b) somente I, III e IV.
c) somente II, III e IV.
d) somente I, II e IV.
e) todas as afirmativas estão corretas.


resposta da questão 49:[D]





50. (Uece) Nos primeiros anos do século XVI, os portugueses enfrentaram grande concorrência por parte de outras potências europeias para a posse definitiva do território descoberto por Cabral. Sobre a presença de europeus não-portugueses no Brasil na primeira metade do século XVI, é correto afirmar:

a) os ingleses por várias vezes tentaram estabelecer colônias nas terras brasileiras, chegando mesmo a criar uma "zona livre", sob controle dos piratas.
b) espanhóis e holandeses trouxeram para a América as suas desavenças e conflitos, ocasionando a invasão do Recife no século XVI.
c) apesar da chegada ocasional de navios estrangeiros, jamais houve uma tentativa organizada ou intenção deliberada de questionar a soberania portuguesa sobre as novas terras.
d) os franceses, por não aceitarem o Tratado de Tordesilhas, eram os invasores mais frequentes,chegando a estabelecerem-se no Rio de Janeiro em 1555-1560.


resposta da questão 50:[D]


51. (Ufsm) Sobre a organização econômica, social e política das comunidades indígenas brasileiras, no período inicial da conquista do território pelos portugueses, é correto afirmar:

I. Os nativos viviam em regime de comunidade primitiva, em que a terra era de propriedade privada dos casais e os instrumentos de trabalho eram de propriedade coletiva.
II. A divisão das tarefas era por sexo e por idade; as mulheres cozinhavam, cuidavam das crianças, plantavam e colhiam; os homens participavam de atividades guerreiras, da caça, da pesca e da derrubada da floresta para fazer a lavoura.
III. A sociedade era organizada em classes sociais, sendo o excedente da produção controlado pelos chefes das aldeias, responsáveis pela distribuição dos bens entre os indígenas.
IV. Os indígenas brasileiros não praticavam o comércio pois tudo que produziam destinava-se à subsistência, realizando apenas trocas rituais de presentes.

Está(ão) correta(s)
a) apenas I e II.
b) apenas I e III.
c) apenas III.
d) apenas IV.
e) apenas II e IV.



resposta da questão 51:[E]


52. (Ufmg) Leia o texto.
E aproximava-se o tempo da chegada das notícias de Portugal sobre a vinda das suas caravelas, e esperava-se essa notícia com muito medo e apreensão; e por causa disso não havia transações, nem de um ducado [...] Na feira alemã de Veneza não há muitos negócios. E isto porque os Alemães não querem comprar pelos altos preços correntes, e os mercadores venezianos não querem baixar os preços 
[...] E na verdade são as trocas tão poucas como se não poderia prever.

DIÁRIO DUM MERCADOR VENEZIANO, 1508.

O quadro descrito nesse texto pode ser relacionado à
a) comercialização das drogas do sertão e produtos tropicais da colônia do Brasil.
b) distribuição, na Europa, da produção açucareira do Nordeste brasileiro.
c) importação pelos portugueses das especiarias das Índias Orientais.
d) participação dos portugueses no tráfico de escravos da Guiné e de Moçambique.



resposta da questão 52:[C]

53. (Ufc) Observe o mapa a seguir apresentado.

a) Exponha as razões do estabelecimento dessa linha divisória.
b) Explique os motivos que levaram o Brasil a ter uma outra configuração, apesar das limitações de fronteiras, então impostas pelo Tratado de Tordesilhas.



resposta da questão 53:


a) A disputa entre Portugal e Espanha pela conquista de territórios após a chegada de Colombo ao Novo Mundo, seguindo a rota ocidental.


b) A imprecisão das medidas de distância, no mapa traçado, dificultava a localização dos reais limites de ocupação. A ação dos bandeirantes, na busca de ouro e diamantes, permitiu o avanço sobre os limites estabelecidos. Os territórios ocupados, no Centro-Oeste e na Amazônia, ampliaram as fronteiras do Brasil e a ocupação registrada foi garantida pelo Tratado de Madri, em 1750. Além disso, após a morte de D. Sebastião, Rei de Portugal, na África, ocorreu a União Ibérica, ficando Portugal subordinado ao Rei Espanhol, Felipe II, o que facilitou a penetração dos bandeirantes em terras sob o domínio espanhol na América do Sul.





54. (Uff) A "Carta de Pero Vaz de Caminha", escrita em 1500, é considerada como um dos documentos fundadores da Terra Brasilis e reflete, em seu texto, valores gerais da cultura renascentista, dentre os quais destaca-se:
a) a visão do índio como pertencente ao universo não religioso, tendo em conta sua antropofagia;
b) a informação sobre os preconceitos desenvolvidos pelo renascimento no que tange à impossibilidade de se formar nos trópicos uma civilização católica e moderna;
c) a identificação do Novo Mundo como uma área de insucesso devido à elevada temperatura que nada deixaria produzir;
d) a observação da natureza e do homem do Novo Mundo como resultado da experiência da nova visão de homem, característica do século XV;
e) a consideração da natureza e do homem como inferiores ao que foi projetado por Deus na Gênese.



resposta da questão 54:[D]

Comentário da questão:

 A alternativa de Letra D apresenta duas, das características do Renascimento: ANTROPOCENTRISMO E NATURALISMO. O antropocentrismo significa "O Homem no centro do Universo"em oposição ao TEOCENTRISMO (Característica da Idade Média) e o naturalismo que é olhar para a natureza pelo viés da razão (RACIONALISMO).





55. (FUVEST) Os portugueses chegaram ao território, depois denominado Brasil, em 1500, mas a administração da terra só foi organizada em 1549. Isso ocorreu porque, até então,
a) os índios ferozes trucidavam os portugueses que se aventurassem a desembarcar no litoral, impedindo assim a criação de núcleos de povoamento.
b) a Espanha, com base no Tratado de Tordesilhas, impedia a presença portuguesa nas Américas, policiando a costa com expedições bélicas.
c) as forças e atenções dos portugueses convergiam para o Oriente, onde vitórias militares garantiam relações comerciais lucrativas.
d) os franceses, aliados dos espanhóis, controlavam as tribos indígenas ao longo do litoral bem como as feitorias da costa sul-atlântica.
e) a população de Portugal era pouco numerosa, impossibilitando o recrutamento de funcionários administrativos.




resposta da questão 55:[C]
Comentário da questão:

A questão diz que apesar de os Portugueses terem chegado ao Brasil em 1500 a efetiva administração só começou em 1549, logo ela se refere ao motivo da SECUNDARIZAÇÃO DO BRASIL., logo a única alternativa que apresenta causas corretas para a secundarização do Brasil é a alternativa de letra C, pois os altos lucros do comércio oriental somado a inexistência de metais nas terras recém descobertas foram causas para o desinteresse inicial de Portugal em colonizar o Brasil.





56. (Ufpr) Jean de Léry, em seu livro Viagem à terra do Brasil, fala do estranhamento que os tupinambás tinham com relação ao interesse dos europeus pelo pau-brasil: "Uma vez um velho perguntou-me: Por que vindes vós outros, mairs e perôs (franceses e portugueses) buscar lenha de tão longe para vos aquecer? Não tendes madeira em vossa terra? 
Respondi que tínhamos muita mas não daquela qualidade, e que não a queimávamos, como ele o supunha, mas dela extraíamos tinta para tingir (...). 
Retrucou o velho imediatamente: e porventura precisais de muito? - Sim, respondi-lhe, pois no nosso país existem negociantes que possuem mais panos, facas, tesouras, espelhos e outras mercadorias do que podeis imaginar, e um só deles compra todo o pau-brasil com que muitos navios voltam carregados."

(In: LÉRY, J. de." Viagem à terra do Brasil." Belo Horizonte:Ed. ltatiaia; São Paulo: Ed. USP, 1980. p.168-9.)

Com base no seu conhecimento da história das primeiras décadas da colonização do Brasil, é correto afirmar:
(01) Alguns Estados europeus não reconheciam o direito de Portugal sobre a "nova terra" e, dessa forma, empreendiam incursões a fim de disputar a posse das riquezas naturais nela existentes.
(02) O pau-brasil, árvore então encontrada em abundância na Floresta Atlântica, era o principal produto brasileiro comercializado na Europa, onde o utilizavam como matéria-prima nas manufaturas 
têxteis.
(04) Na exploração econômica do pau-brasil, o escambo representou a principal forma de relações comerciais entre europeus e indígenas da América Portuguesa.
(08) A exploração do pau-brasil só se tornou economicamente rentável para os portugueses com a introdução da mão-de-obra escrava africana.
(16) Tanto franceses como portugueses aproveitavam-se das desavenças entre grupos tribais para a obtenção de homens para o trabalho e para a guerra.
(32) A presença de Jean de Léry em solo brasileiro está associada ao episódio da criação da França Austral, momento em que aquela potência expandiu os seus domínios até o extremo sul do continente americano.
Soma ( )





resposta da questão 56: 01 + 02 + 04 + 16 = 23


57. (Ufes) Os Tupinikim, uma das maiores nações indígenas brasileiras, possuíam as seguintes características no período colonial:
I - viviam da pesca, da caça, da coleta de frutos e raízes proporcionada pelas florestas e matas;
II - tiveram suas manifestações culturais, tradições e ritos cerceados, nas regiões onde foram encampados pelos aldeamentos jesuítas;
III - exploravam latifúndios respeitados pela colonização branca e viviam pacificamente com os portugueses no interior do Brasil;
IV - ocupavam parte do litoral brasileiro, na faixa compreendida entre o sul da Bahia e o Paraná.

Em relação às proposições acima, está CORRETO o que se afirma

a) apenas em I, II e III.
b) apenas em II, III e IV.
c) apenas em I, III e IV.
d) apenas em I, II e IV.
e) em todas elas.



resposta da questão 57:[D]

58. (Fgv) Sobre os povos dos sambaquis, é incorreto afirmar que:
a) sendo nômades, ocuparam a faixa amazônica, deslocando-se durante milhares de anos, do Marajó a Piratininga;
b) sedentários, viviam da coleta de recursos marítimos e de pequenas caças;
c) as pesquisas arqueológicas demonstram que tais povos desenvolveram instrumentos de pedra polida e de ossos;
d) na chegada dos primeiros invasores europeus, esses povos já se encontravam subjugados por outros grupos sedentários;
e) esses povos viveram na faixa litorânea, entre o Espírito Santo e o Rio Grande do Sul, basicamente dos recursos que o mar oferecia.



resposta da questão 58:[A]
Comentário da questão:

No Brasil, os sambaquis podem ser encontrados ao longo do litoral nordestino, no Rio de Janeiro, em São Paulo e em outras partes do litoral gaúcho. 




59. (ENEM 2010) Os vestígios dos povos Tupi-guarani encontram-se desde as Missões e o rio da Prata, ao sul, até o Nordeste, com algumas ocorrências ainda mal conhecidas no sul da Amazônia. A leste, ocupavam toda a faixa litorânea, desde o Rio Grande do Sul até o Maranhão. A oeste, aparecem (no rio da Prata) no Paraguai e nas terras baixas da Bolívia. Evitam as terras inundáveis do Pantanal e marcam sua presença discretamente nos cerrados do Brasil central. De fato, ocuparam, de preferência, as regiões de floresta tropical e subtropical.
PROUS, A. O Brasil antes dos brasileiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.

Os povos indígenas citados possuíam tradições culturais específicas que os distinguiam de outras sociedades 
indígenas e dos colonizadores europeus. Entre as tradições tupi-guarani, destacava-se
A) a organização em aldeias politicamente independentes, dirigidas por um chefe, eleito pelos indivíduos mais 
velhos da tribo.
B) a ritualização da guerra entre as tribos e o caráter semissedentário de sua organização social.
C) a conquista de terras mediante operações militares, o que permitiu seu domínio sobre vasto território.
D) o caráter pastoril de sua economia, que prescindia da agricultura para investir na criação de animais.
E) o desprezo pelos rituais antropofágicos praticados em outras sociedades indígenas.




resposta da questão 59:[B]

Comentário da questão:

Quando os portugueses chegaram ao Brasil, os índios tupi encontravam-se num momento de transição, do nomadismo para o sedentarismo. Suas atividades econômicas eram a caça e a coleta, complementadas por uma cultura rudimentar de alimentos como a mandioca. Quando os recursos tornaram-se escassos, as tribos se deslocavam para outras regiões com maior abundância, caracterizando a semissedentarização da sociedade.
Já as guerras eram realizadas para manter o equilíbrio político, e, com o intuito de se absorver o poder de guerreiros valorosos das tribos vencidas, os vencedores realizavam rituais antropofágicos, em que sacrificavam e devoravam seus reféns.





60. (Uflavras) "O fato de Cabral não ter trazido consigo nenhum padrão de pedra - com os quais desde os tempos de Diogo Cão, os lusos assinalavam a posse de novas terras - já foi apontado como uma prova de que o descobrimento do Brasil foi fortuito e que a expedição não pretendia "descobrir novas terras, mas subjugar as já conhecidas". Isto talvez seja fato. Mas por outro lado, é preciso lembrar que a posse sobre aquele território já estava legalmente assegurada desde a assinatura do Tratado de Tordesilhas - independentemente da colocação de qualquer padrão."
(Eduardo Bueno. "A Viagem do Descobrimento - A verdadeira história da expedição de Cabral". 1998, p.109.)

As alternativas abaixo correspondem a análises possíveis do trecho em questão. Todas são verdadeiras, EXCETO:
a) o autor faz uma menção à "Tese da Casualidade da Descoberta".
b) o autor é incondicionalmente favorável à segunda tese e justifica-se pelas características do Tratado de Tordesilhas.
c) o autor se refere também à "Tese da Intencionalidade da Descoberta".
d) para o autor, a questão dos "marcos de pedra" pode apoiar ambas as teses.
e) o autor não atribui grande importância à questão dos "marcos de pedra".




resposta da questão 60:[E]



61. (Ufrs) Observe o Cartum abaixo:


(Fonte: "Primeira Missa" de Sampaio. ln: "Humores nunca dantes navegados: o Descobrimento segundo os cartunistas do sul do Brasil". Porto Alegre: SECRS, 2000.)

Considerando a situação histórica e os significados expressos no cartum acima, analise as seguintes afirmações.

I - O cartum retrata o momento inicial da conquista portuguesa, demonstrando aspectos do "choque cultura" ocorrido entre os conquistadores e os indígenas.
II - A dominação portuguesa do Brasil não se deu unicamente com base na exploração dos recursos naturais e do trabalho indígena, mas também apresentou aspectos nitidamente ideológicos, como a 
imposição da religião católica aos autóctones.
III - O cartum apresenta o momento inicial do contato interétnico como sendo de tensão e conflito armado e econômico, visto que os nativos reagiram às tentativas de vigilância impostas pelos conquistadores.

Quais estão corretas?
a) Apenas I.
b) Apenas I e II.
c) Apenas I e III.
d) Apenas II e III.
e) I, II e III.


resposta da questão 61:[B]



62. (Pucrs) Responder à questão sobre o período pré-colonial brasileiro, com base no texto a seguir:
"... Da primeira vez que viestes aqui, vós o fizestes somente para traficar. (...) Não recusáveis tomar nossas filhas e nós nos julgávamos felizes quando elas tinham filhos. Nessa época, não faláveis em aqui vos fixar. Apenas vos contentáveis com visitar-nos uma vez por ano, permanecendo, entre nós, somente durante quatro ou cinco luas [meses]. 
Regressáveis então ao vosso país, levando os nossos gêneros para trocá-los com aquilo que carecíamos."

(MAESTRI, Mário. "Terra do Brasil: a conquista lusitana e o genocídio tupinambá". São Paulo: Moderna, 1993, p.86)

O texto anterior faz alusão ao comércio que marcou o período pré-colonial brasileiro conhecido por
a) mita.
b) escambo.
c) encomienda.
d) mercantilismo.
e) corvéia.


resposta da questão 62:[E]

Comentário da questão:

Nas primeiras relações entre os conquistadores europeus e os grupos indígenas não se deu a escravização desses povos, Neste momento histórico era realizada uma troca de produtos de baixo custo para os lusitanos e em troca levavam a madeira tintorial. A essa operação damos o nome de escambo, portanto a resposta correta é a letra B.



63. (Ufrrj) "Até agora não pudemos saber se há ouro ou prata nela, ou outra coisa de metal ou ferro; nem lha vimos. Contudo a terra em si é de muito bons ares frescos e temperados como os de Entre-Douro e Minho, porque neste tempo d'agora assim os achávamos como os de lá. (As) águas são muitas; infinitas. Em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo; por causa das águas que tem!
Contudo, o melhor fruto que dela se pode tirar parece-me que será salvar esta gente. E esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza em ela deve lançar. E que não houvesse mais do que ter Vossa Alteza aqui esta pousada para essa navegação de Calicute (isso) bastava. Quanto mais, disposição para se nela cumprir e fazer o que Vossa Alteza tanto deseja, a saber, acrescentamento da nossa fé!"
("Carta de Pero Vaz Caminha ao Rei de Portugal" em 1°/5/1500.)

Seguindo a evidente preocupação de descrever ao Rei de Portugal tudo o que fora observado durante a curta estadia na terra denominada de Vera Cruz, o escrivão da frota cabralina menciona, na citada carta, possibilidades oferecidas pela terra recém-conhecida aos portugueses.

Dentre essas possibilidades estão


a) a extração de metais e pedras preciosas no interior do território, área não explorada então pelos portugueses.
b) a pesca e a caça pela qualidade das águas e terras onde aportaram os navios portugueses.
c) a extração de pau-brasil e a pecuária, de grande valor econômico naquela virada de século.
d) a conversão dos indígenas ao catolicismo e a utilização da nova terra como escala nas viagens ao Oriente.
e) a conquista de Calicute a partir das terras brasileiras e a cura de doenças pelos bons ares aqui encontrados.



resposta da questão 63:[D]

64. (Fuvest) Os portugueses chegaram ao território, depois denominado Brasil, em 1500, mas a administração da terra só foi organizada em 1549. 
Isso ocorreu porque, até então,
a) os índios ferozes trucidavam os portugueses que se aventurassem a desembarcar no litoral, impedindo assim a criação de núcleos de povoamento.
b) a Espanha, com base no Tratado de Tordesilhas, impedia a presença portuguesa nas Américas, policiando a costa com expedições bélicas.
c) as forças e atenções dos portugueses convergiam para o Oriente, onde vitórias militares garantiam relações comerciais lucrativas.
d) os franceses, aliados dos espanhóis, controlavam as tribos indígenas ao longo do litoral bem como as feitorias da costa sul-atlântica.
e) a população de Portugal era pouco numerosa, impossibilitando o recrutamento de funcionários administrativos.



resposta da questão 64:[C]
Comentário da questão:
O período de 1500 - 1530 é denominado Pré Colonial , uma vez que Portugal não se interessou na ocupação efetiva da terra, visto a maior importância dada ao comercio de especiarias com o Oriente. A partir de 1532 foram organizadas as capitanias hereditária, porém somente em 1549 podemos falar em organização política na colônia, com a instalação do Governo Geral em Salvador.


65. (Ufpe) As feitorias portuguesas no Novo Mundo foram formas de assegurar, aos conquistadores, as terras descobertas. Sobre essas feitorias, é correto afirmar que:
a) a feitoria foi uma forma de colonização, empregada por portugueses na África, na Ásia e no Brasil, com pleno êxito para a atividade agrícola.
b) as feitorias substituíram as capitanias hereditárias durante o Governo Geral de Mém de Sá, como proposta mais moderna de administração colonial.
c) as feitorias foram estabelecimentos fundados por portugueses no litoral das terras conquistadas e serviam para armazenamento de produtos da terra, que deveriam seguir para o mercado europeu.
d) tanto as feitorias portuguesas fundadas ao longo do litoral brasileiro quanto as fundadas nas Índias tinham idêntico caráter: a presença do Estado português e a ausência de interesses de particulares.
e) o êxito das feitorias afastou a presença de corsários franceses e estimulou a criação das capitanias hereditárias.


resposta da questão 65:[C]


66. (Ufc) Acerca das pretensões iniciais da exploração e conquista do Brasil, assinale a alternativa correta.
a) Interesses antropológicos levaram os portugueses a fazer contato com outros povos, entre eles os índios do Brasil.
b) O rei dom Manuel tinha-se proposto chegar às Índias navegando para o ocidente, antecipando-se, assim, a Cristovão Colombo.
c) O interesse científico de descobrir e classificar novas espécies motivou cientistas portugueses para lançarem-se à aventura marítima.
d) Os conquistadores estavam interessados em encontrar terras férteis para desenvolver a cultura do trigo e, assim, dar solução às crises agrícolas que sofriam em Portugal.
e) Os portugueses estavam interessados nas riquezas que as novas terras descobertas podiam conter, além de garantir a segurança da rota para as Índias.

resposta da questão 66:[E]





67.(Unirio) O monstrengo que está no fim do mar
Na noite de breu ergue-se a voar,
A roda da nau voou três vezes,
Voou três vezes a chiar,
E disse, "Quem é que ousou entrar
Nas minhas cavernas que não desvendo,
Meus tectos negros do fim do mundo?
E o homem do leme disse tremendo,
"El-Rei D.João Segundo"
(Fernando Pessoa. POEMAS ESCOLHIDOS. Ed. O Globo, 1997, p.150)

A epopeia marítima portuguesa, descrita pelo poeta, foi revestida de ousadias e destemores, no entanto, ela só foi possível porque Portugal, antes de outros países europeus, reuniu as necessárias condições para a conquista dos mares.

Cite e explique duas precondições que possibilitaram o pioneirismo português no processo de expansão marítima.





resposta da questão 67:
- A aliança entre o Rei e a burguesia, consolidada na revolução de Avis, garantindo ao Estado capital suficiente para promover a expansão ultramarina.
- a localização geográfica que colocava Portugal na confluência de rotas comerciais que partiam do oriente, passavam pelas cidades italianas e dirigiam-se para o norte da Europa. Essa posição promoveu uma importante acumulação de capitais, principalmente em Lisboa, a qual foi decisiva no processo de expansão.


68. (Cesgranrio) 



Legenda:
1 - Viagens de Pedro Álvares Cabral
2 - Viagens de Vasco da Gama
3 - Viagens de Bartolomeu Dias
4 - Viagens de Pedro de Covilhã
Fonte: Almanaque Abril 1998, Ed. Abril S.A.

Observando o mapa anterior podemos identificar várias rotas de navegação. Próximo à comemoração dos "500 anos" do Brasil, percebemos que o "descobrimento" de nosso país:
a) foi acidental, tendo em vista Cabral estar indo para as Índias e, devido a uma calmaria, ter chegado às terras brasileiras e espanholas.
b) foi proposital, tendo vista o Tratado de Toledo ter determinado que todas as terras a Oeste de Cabo Verde seriam de Portugal.
c) está ligado apenas a um movimento de expansão religiosa da Coroa Portuguesa para converter as tribos africanas.
d) está incluído numa expansão marítima e comercial que objetivava, entre outros fatores, a procura de metais preciosos e terras para Portugal.
e) está relacionado à viagem de Vaco da Gama e à fundação de feitorias nas ilhas dos Oceanos Índico e Pacífico.



resposta da questão 68:[D]



69. (UFAM) Dentre as alternativas abaixo sobre o Brasil Colonial,
assinale aquela que é INCORRETA:
a) Holandeses e ingleses foram os grandes beneficiados com a produção de açúcar e com a extração do ouro, respectivamente.
b) A cultura canavieira em larga escala exigiu a instituição do latifúndio e da mão de obra escrava.
c) O sistema de feitorias, utilizado na exploração do pau-brasil, foi o principal fator que viabilizou a formação de núcleos povoadores
lusos no Brasil.
d) Na exploração do pau-brasil, a mão-de-obra foi obtida através do
escambo, enquanto que na lavoura canavieira e na extração do ouro, utilizou-se a mão de obra escrava.
e) A dinâmica da exploração do ouro fez surgir na região aurífera um novo segmento social, a classe média, inexistente na sociedade
açucareira.



resposta da questão 69:[C]

Comentário da questão:
A alternativa incorreta é a letra C, pois a formação de núcleos povoadores só foi possível com o projeto colonizador dado a economia açucareira. Por causa dessa economia nasceu núcleos povoadores como a Vila de São Vicente e a Vila de Olinda.


70. (VUNESP 2002) As interpretações a respeito da ação dos jesuítas no período colonial têm sofrido consideráveis alterações ao longo do tempo.
a) Indique as duas versões básicas a respeito do assunto.
b) Cite dois problemas enfrentados pelas nações indígenas contemporâneas.



resposta da questão 70:

a) A versão tradicional coloca o jesuíta como o agente missionário catequizador dos povos encontrados na América. A outra versão defende o interesse jesuítico em criar um império temporal teocrático na América.

b) Um dos problemas é a soberania sobre as áreas a serem demarcadas e preservação das já existentes contra as invasões de mineradores, madeireiros e grileiros de terra. O outro é a preservação e o resgate da identidade cultural que, nos 500 anos de contato com o homem branco, promoveram várias deformações.



71. (UERJ) Um dos principais problemas brasileiros da atualidade é a questão da concentração da propriedade da terra. Os meios de comunicação de massa (rádio, televisão, jornal) trazem, todos os dias, matérias sobre invasões promovidas por camponeses sem-terra, mas a falta de terra para quem realmente trabalha nela não é um problema atual. Um instrumento de distribuição de terra do período colonial que comprova a longa duração deste problema no Brasil é:



a) o Regimento Geral.
b) a Carta de Sesmaria.
c) os Tratados de Saragoça.
d) o Tratado de Tordesilhas.


resposta da questão 71:[B]

Comentário da questão:
As cartas de sesmarias eram documentos que garantiam a posse de terra a um particular que desenvolveria atividades econômicas lucrativas no espaço colonial. A grande extensão das terras era uma prática condizente às exigências do sistema monocultor, inaugurado pela plantação de cana-de-açúcar no Brasil. Historicamente, vemos que o repasse desses grandes lotes de terra configuram uma das práticas que legitimaram ao longo do tempo, a questão da concentração de terras no território brasileiro.



72. (Puc-rio) "Povos e povos indígenas desapareceram da face da terra como conseqüência do que hoje se chama, num eufemismo envergonhado, o encontro de sociedades do Antigo e do Novo Mundo."
(Manuela Carneiro da Cunha (org). "História dos índios no Brasil." 2. ed. São Paulo, Cia das Letras, 1998, p. 12.)

A chegada dos europeus no que veio a ser por eles denominado América, ocasionou o encontro entre sociedades que se desconheciam. No caso dos que estavam a serviço da Coroa de Portugal, o encontro formalizou contatos, confrontos, alianças com tribos nativas litorâneas, grande parte de origem tupi. Acerca desse encontro entre portugueses e tupis nas terras que vieram a ser chamadas de Brasil, é correto afirmar que:
a) entre 1500 e 1530, os contatos foram pacíficos e amistosos, facilitando o estabelecimento das práticas de escambo do pau-brasil e o surgimento dos primeiros aldeamentos organizados por jesuítas.
b) a partir de 1555, a tentativa de huguenotes franceses de criar uma colônia - a França Antártica -, na baía de Guanabara, acabou por favorecer alianças militares de portugueses com as tribos locais, tamoios e tupinambás, suspendendo a escravização dos indígenas.
c) as intenções de colonizadores portugueses - "expandir a fé e o Império" - bem como suas práticas colonizadoras - doação de sesmarias, estímulos ao cultivo da cana, catequese dos nativos -, transformaram o encontro em um desastre demográfico para as tribos tupis do litoral.
d) os rituais antropofágicos praticados pelos tupis, ao lado das rivalidades constantes entre as tribos, foram fatores que contribuíram para a predominância de choques militares com os portugueses, tornando inevitáveis, por sua vez, a ocorrência de guerras justas.
e) o desconhecimento por parte dos nativos de qualquer tipo de agricultura foi o principal obstáculo para a utilização de sua mão-de-obra no estabelecimento da lavoura canavieira, isso somado à resistência à catequese ocasionou confrontos constantes entre portugueses e tupis.


resposta:[C]



73. (UFPE) As feitorias portuguesas no Novo Mundo foram formas de assegurar, aos conquistadores, as terras descobertas. Sobre essas feitorias, é correto afirmar que:
a) a feitoria foi uma forma de colonização, empregada por portugueses na África, na Ásia e no Brasil, com pleno êxito para a atividade agrícola.
b) as feitorias substituíram as capitanias hereditárias durante o Governo Geral de Mém de Sá, como proposta mais moderna de administração colonial.
c) as feitorias foram estabelecimentos fundados por portugueses no litoral das terras conquistadas e serviam para armazenamento de produtos da terra, que deveriam seguir para o mercado europeu.
d) tanto as feitorias portuguesas fundadas ao longo do litoral brasileiro quanto as fundadas nas Índias tinham idêntico caráter: a presença do Estado português e a ausência de interesses de particulares.
e) o êxito das feitorias afastou a presença de corsários franceses e estimulou a criação das capitanias hereditárias.


resposta da questão :[C]


74. (Mackenzie 2008) “A atividade colonizadora dos povos europeus na época moderna, inaugurada com a ocupação e utilização das ilhas atlânticas, e logo desenvolvida em larga escala com o povoamento e valorização econômica da América, distingue-se da empresa de exploração comercial, a qual desde o século XV os portugueses já vinham realizando, nos numerosos entrepostos do litoral atlântico-africano e no mundo indiano.”
                                 (NOVAIS, Fernando A. Brasil em Perspectiva)

A formação de toda a estrutura do Brasil colonial esteve condicionada aos interesses ligados à expansão comercial e colonial europeia na época moderna. A respeito do funcionamento do Antigo Sistema Colonial e do posicionamento do Brasil nesse contexto, é correto afirmar que

a) o sistema de colonização empreendido pelos Estados europeus retardou o processo de fortalecimento político-econômico das potências, por ter desviado recursos internos para desenvolver a exploração ultramarina.
b) os interesses da alta nobreza e da burguesia portuguesa não entraram em choque no quadro da expansão ultramarina, pois ambas defendiam o projeto de alargar os domínios da fé cristã nos novos territórios.
c) no Brasil, como nos entrepostos africanos e asiáticos sob o domínio lusitano, a atividade econômica dos europeus abrangia, além da circulação de mercadorias, também o âmbito da produção.
d) o funcionamento do antigo sistema colonial, parte integrante da expansão mercantil da Europa, era regulado pelos interesses da alta nobreza, fortalecida, no caso do Brasil, com a aquisição das melhores capitanias hereditárias.
e) o monopólio do comércio das colônias pela metrópole era vital para o sistema colonial, e a preservação desse privilégio foi seguida de medidas para resguardar as áreas coloniais da cobiça por parte das demais nações europeias.




resposta:[E]

Comentário da questão:
O monopólio do comércio colonial, também chamado de “exclusivo colonial”, era a medula do Sistema Colonial Mercantilista: o comércio externo das áreas coloniais era uma exclusividade do Estado monárquico e da burguesia mercantil metropolitana, o que lhes permitia a manipulação dos preços de compra e venda e, consequentemente, a obtenção de super lucros comerciais.
Era dessa forma que a colônia assumia sua função histórica durante a Idade Moderna. E, para resguardar esse privilégio, a Coroa montou uma rede de fortificações militares, com o propósito de impedir invasões de outras nações europeias.



75. (FGV Eco) O primeiro testemunho sobre a antropofagia na América foi registrada por Álvarez Chanca (...) em 1493. (...) Registrada a abominação antropofágica, os monarcas espanhóis autorizam em 1503 a escravidão de todos os caraíba pelos colonos. No litoral brasileiro, os tupinambá, do grupo tupi, tinham o hábito do canibalismo ritual (...). Prova de barbárie e, para alguns, da natureza não-humana do ameríndio, a antropofagia condenava as tribos que a praticavam a sofrer pelas armas portuguesas a “guerra justa” e do cativeiro perpétuo em 1557, por terem devorado no ano anterior vários náufragos portugueses, entre os quais se encontrava o primeiro bispo do Brasil.

(Luís Felipe de Alencastro, Folha de S.Paulo, 12.10.1991)


A partir do fragmento é correto concluir que
A) as tribos tupiniquins, aliadas aos franceses, acreditavam na justiça e na importância da guerra justa como capaz de permitir a supremacia contra tribos inimigas.
B) conforme determinava a legislação de Portugal e da Espanha até o início do século XIX, apenas os nativos da América que praticavam o canibalismo foram escravizados.
C) a escravização dos ameríndios foi legal e efetiva apenas até a entrada dos primeiros homens escravos africanos na América, a partir da segunda metade do século XVII.
D) o estranhamento do colonizador europeu com a prática da antropofagia por parte dos nativos da América serviu de pretexto para a escravização desses nativos.
E) portugueses e espanhóis, assim como a Igreja Católica, associavam a desumanidade dos índios ao fato desses nativos insistirem na prática da guerra justa.


resposta:[D]




76.(FGV ADM) Ao longo do período colonial, houve crises de fome em períodos de recessão (no Rio de Janeiro, em 1666 e 1680) e de crescimento econômico (na Bahia, em 1691 e 1750).
Essa escassez crônica de alimentos decorria principalmente:
a) da contribuição quase nula da cultura indígena brasileira, ainda em estágio de pré-agricultura.
b) do baixo nível cultural dos escravos africanos, que se refletia na baixa produtividade da policultura.
c) da dificuldade de aclimatar, na colônia, produtos básicos da alimentação européia, como o trigo.
d) da política da Coroa de obrigar a produção e a circulação de alimentos apenas por meio de monopólios.
e) do pouco valor dado à produção doméstica e da grande valorização dos produtos para exportação.



resposta da questão 76:[E]



77. (FGV ADM) A respeito da conquista colonial empreendida pelos portugueses na América é correto afirmar:
A) O povoamento português só se desenvolveu com a articulação das terras americanas aos circuitos do comércio mundial que então se estabelecia.
B) A escravidão dos negros africanos foi implementada desde o início da presença portuguesa na América.
C) Os integrantes da Companhia de Jesus foram os principais defensores da utilização da mão-de-obra indígena para trabalho escravo.
D) Ao contrário das regiões do Caribe e do Sul da América do Norte, nas terras controladas por Portugal não se estabeleceram as estruturas econômicas denominadas plantations.
E) A monocultura da cana-de-açúcar impediu o desenvolvimento de outras atividades econômicas nas terras americanas sob o controle português.


resposta:[A]

78.(FEI ADM)A principal atividade econômica desenvolvida no Brasil no início do período colonial (1500-1530) foi:
(A) o plantio de cana-de-açúcar na região de São Vicente.
(B) a criação extensiva de gado no sertão do Nordeste.
(C) o plantio de cana-de-açúcar no litoral do Nordeste.
(D) a extração de ouro na região de Minas Gerais.
(E) a extração de pau-brasil ao longo do litoral brasileiro.


resposta:[E]

79.(FEI ADM) “O descobridor, antes de ver a terra, antes de estudar as gentes, antes de sentir a presença da religião, queria saber de ouro e prata. Na noite de 24 de abril, na primeira sexta-feira do descobrimento, o capitão Pedro Álvares Cabral travou entrevista solene com os donos da terra. Esta troca de gestos, que o fiel escrivão registrou, desnuda muitas intenções e prenuncia uma decepção. Ela indica a inaptidão de ver fora das viseiras douradas do comércio e dos metais preciosos: ‘O capitão, quando eles vieram, estava sentado em uma cadeira, bem vestido, com um colar de ouro mui grande no pescoço, e nos pés uma alcatifa por estrado. [...] Acenderam-se tochas. Entraram. Mas não fizeram sinal de cortesia, nem de falar ao Capitão, nem a ninguém. Porém um deles pôs olho no colar do Capitão, e começou a acenar com a mão para a terra e depois para o colar, como que nos dizendo que ali havia ouro. Também olhou para um castiçal de prata e assim mesmo acenava para a terra e novamente para o castiçal como se lá também houvesse prata.”
Faoro, Raymundo. Os Donos do Poder. Rio de Janeiro: Globo, 1989. p. 99, vol.1

Segundo o texto:
(A) os portugueses, ao chegarem ao Brasil, tinham a intenção de catequizar os índios, assim colaborando para o crescimento da cristandade.
(B) o desejo de conseguir metais preciosos fez com que os portugueses interpretassem o gesto dos indígenas como indicadores da existência desses metais aqui.
(C) o objetivo dos portugueses era unicamente conseguir metais preciosos como ouro e prata e, logo no primeiro contato com os índios, eles foram bem sucedidos na empreitada.
(D) o primeiro contato com os índios foi extremamente hostil, o que levou os portugueses a empregarem métodos violentos de conquista.
(E) a existência de metais preciosos em terras brasileiras foi confirmada pelos índios no encontro narrado, mas estes se recusaram a mostrar o caminho para encontrar ouro e prata aos portugueses.




resposta:[B]

80.(FUVEST 06)“O que mais espanta os Índios e os faz fugir dos Portugueses, e por conseqüência das igrejas, são as tiranias que com eles usam, obrigando-os a servir toda sua vida como escravos, apartando mulheres de maridos, pais de filhos, ferrando-os, vendendo-os, etc. [...] estas injustiças foram a causa da destruição das igrejas...” 

Padre José de Anchieta, na segunda metade do século XVI.

A partir do texto, é correto afirmar que
a) a defesa dos indígenas feita por Anchieta estava relacionada a problemas de ordem pessoal entre ele e os colonizadores da capitania de São Paulo.
b) a escravidão dos índios, a despeito das críticas de Anchieta, foi uma prática comum durante o período colonial, estimulada pela Coroa portuguesa.
c) os conflitos entre jesuítas e colonizadores foram constantes em várias regiões, tais que: Maranhão, São Paulo e Missões dos Sete Povos do Uruguai.
d) a posição de defesa dos indígenas, assumida por Anchieta, foi isolada nas Américas, tanto na Portuguesa quanto na Espanhola.
e) a defesa dos jesuítas foi assumida pela Coroa nos episódios em que essa ordem religiosa lutou por interesses antagônicos aos dos colonizadores.



resposta:[C]




81. 14.(FUVEST 06)“Há duas vertentes básicas que estruturam a colonização portuguesa nos trópicos: o impulso salvífico (os móveis religiosos, a catequese) e os mecanismos de produção mercantil (exploração do Novo Mundo); sendo que a primeira dimensão (a catequese do gentio) dominava o universo ideológico, configurando o projeto, e a segunda (dominação política, exploração econômica) definia as necessidades de riqueza e poder”.
Fernando Novais, História da Vida Privada no Brasil, I.

Com base no texto, explique
a) os motivos religiosos da Coroa portuguesa.
b) a exploração econômica da colônia.


resposta:

a) A valorização e a expansão da fé católica eram componentes importantes do universo ideológico português, que foram reforçados pela Contra-Reforma — ou Reforma Católica —, quando se pretendeu ganhar para o catolicismo, no Novo Mundo, as almas perdidas para o protestantismo, na Europa.

b) A exploração econômica da colônia, realizada dentro dos parâmetros do mercantilismo, baseava-se na produção de mercadorias destinadas a abastecer o mercado europeu e tinha como elemento fundamental o monopólio do comércio, que permitia ao grupo mercantil metropolitano obter elevados lucros, tanto na venda de mercadorias para a colônia como na compra dos produtos coloniais. Além disso, a colônia era explorada também pela via tributária, por meio dos elevados impostos cobrados pela Coroa.


82. (VUNESP) “Nos tempos da fundação de São Paulo, os tupiniquins dominavam os campos de Piratininga e o Vale do Tietê. O planalto era povoado por várias aldeias tupis. Os índios desciam para o litoral na época do frio para pescar e foram os responsáveis pela criação de várias trilhas, a maioria usada pelos jesuítas e portugueses. Os tupis eram formados por diversos grupos indígenas, que, na sua maioria, viviam para a guerra. Tinham na sua força e coragem profundo orgulho. Entre as famílias tupis, predominavam na Ilha de São Vicente os tamoios, quando a expedição portuguesa chegou em 1532.
É importante ressaltar que o cacique Tibiriçá, chefe de uma parte da nação indígena estabelecida nos campos de Piratininga, com sede na aldeia de Inhampuambuçu, foi grande colaborador dos jesuítas e portugueses. Defendeu muitas vezes São Paulo de ataques de outras tribos e facilitou o trabalho de catequese. Seus restos mortais se encontram hoje depositados em uma cripta na Catedral da Sé.
Sobre os nativos da América é possível afirmar
a)  a existência de pouca diferença cultural entre os grupos facilitou a ação dos jesuítas e colonizadores;
b) salvo a região de São Paulo e do grande Amazonas a presença indígena era diminuta;
c) independente da multiplicidade cultural dos povos nativos da América as ações colonizadoras forma muito próximas: dizimação pela pólvora, doenças etc.;
d) os índios aliados dos colonizadores nada sofrem de prejuízo cultural, político e econômico;
e) o canibalismo predominante entre todos os povos impediu ações harmoniosas entre os nativos e os colonizadores, fator número um dos massacres dos últimos.


resposta da questão 82:[C]

Comentário da questão:
As ações colonizadoras trouxeram grandes prejuízos para as comunidades indígenas, entre elas, a aculturação, a escravidão e a dizimação.


83. (UEL 06) Sobre o sistema colonial de Portugal no Brasil, é correto afirmar:
a) Os reformadores do sistema de exploração mercantil aportaram em São Sebastião comandados por Tomé de Souza. O objetivo principal da esquadra era manter o sistema português de educação vigente no Brasil.
b) O Pe. Manuel da Nóbrega, membro da Companhia de Jesus, veio para o Brasil cumprir os preceitos da aplicação do dogma e da disciplina religiosa. Assim, estabeleceu-se na colônia a articulação dos poderes do Rei e de Deus, ou seja, da Coroa Portuguesa com a Igreja.
c) As revoluções Copernicana, Industrial e Francesa levaram a Coroa Portuguesa por meio da Universidade de Coimbra, dominada pela Companhia de Jesus, a enviar a esquadra de Tomé de Souza para o Brasil, visando a controlar os movimentos reformistas que proliferavam em várias capitanias.
d) O Brasil, inserido no antigo sistema colonial, foi reconhecido como um exemplo de colônia de povoamento pela ocupação organizada do território, levando a coroa portuguesa a liberar o comércio interno e a incentivar o panorama científico e educacional.
e) A reforma protestante e a revolução realizada por Nicolau Copérnico tiveram um grande impacto no sistema educacional do Brasil colônia. Para auxiliar neste processo, que pressupõe o desenvolvimento do dogma e da disciplina, a Companhia de Jesus enviou o Pe. Manuel da Nóbrega.



resposta da questão 83:[B]

Comentário da questão:
A Coroa portuguesa historicamente possuía uma grande ligação com a Igreja Católica, no país vigorava o sistema de padroado, no qual a Igreja era subordinada ao Estado. Os padres jesuítas atuaram na catequização dos povos nativos do Novo Mundo e foram braço direito do rei em terras brasileiras.



84. (FGV ADM) “...se V.A. não socorre a essas capitanias e costas do Brasil, ainda que nós percamos a vida e fazendas, V.A. perderá o Brasil.”
Carta, de 1548, enviada ao rei de Portugal, pelo capitão Luís de Góis, da Capitania de São Vicente
O documento:
a) mostra que São Paulo e São Vicente foram as duas únicas capitanias que não conseguiram prosperar.
b) alerta a Coroa portuguesa a que mude com urgência a política, para não perder sua nova colônia.
c) revela a disputa entre donatários, para convencer o Rei a enviar auxílio para suas respectivas capitanias.
d) exagera o risco de invasão do território, quando não havia interesse estrangeiro de explorá-lo.
e) demonstra a incapacidade dos primeiros colonizadores de estabelecer atividade econômica no território.


resposta da questão 84:[B]

Comentário da questão:
A necessidade de um maior controle do território colonial diante do iminente perigo de se perder o território para os invasores, notadamente os piratas franceses. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário